TRADIÇÃO – Graças a uma família da Rebordosa reviveu-se a descamisada

0
1

A
fim de não deixar cair o reviver da descamisada, habitualmente organizada pela
União Popular, como aconteceu no ano passado e outros anos, uma família de
Rebordosa, composta por Américo Seco, esposa Iva Flórido e filhos Luís e Vítor
Seco, ainda ajudados pela tia destes, Maria Liseta, puseram mãos à massa e logo
de manhã, mesmo juntinho às águas do Mondego, os dois fornos ali montados
coziam bela broa e bolos, amassados e tendidos pela Iva.
Enquanto o trabalho de forno
se desenvolvia, bem como se confeccionavam os acepipes, para todos os que, na
lavra do Vítor, situada no Lou­redo, se encarregavam da descamisar o milho, e
que no regresso não deixariam de ter apetite para saborear as iguarias já
postas em cima da mesa.
Aconchegados os estômagos,
procedeu-se à debulha do milho, em tara bastante antiga, sem que alguns não
recordassem que antes desta máquina, o trabalho era feito com manguais e que
para não retirar o milho da eira, quando se procedia à sua seca, dormia-se na
eira a tomar conta do mesmo.
A tarde foi de festa e
alegria, havendo música e cantares para todos os gostos.
A Câmara Municipal de Penacova esteve
representada pela vereadora da Educação e Cultura, Sandra Ralha, que foi acompanhada
pelo seu filhote.

José Travassos de Vasconcelos – A Comarca de Arganil