CIÊNCIA VIVA – Vera Novais recebe Prémio COMCEPT 2018

0
1

A
jornalista Vera Novais, do Observador, foi homenageada pela COMCEPT — Comunidade Céptica Portuguesa com
a entrega do Prémio COMCEPT, pelo trabalho jornalístico que tem desenvolvido na
promoção da ciência e do jornalismo científico em Portugal.
Segundo a COMCEPT, uma associação de promoção
da ciência e cepticismo científico, Vera Novais tem-se destacado pelo seu
percurso na área da comunicação de ciência e, mais recentemente, como
jornalista de ciência no jornal online Observador. Formada em Biologia e em
Comunicação de Ciência, iniciou a sua carreira jornalística no Público,
passando depois para o Observador aquando do arranque desse projecto editorial.
A organização considera que o trabalho da Vera Novais tem revelado uma elevada
qualidade e rigor, persistentes ao longo da sua carreira. De entre o seus
trabalhos, destacam-se as reportagens que têm contribuído para o esclarecimento
de temas científicos e socialmente relevantes, como as medicinas alternativas, o glifosato, os organismos geneticamente modificados, o cancro, a canábis medicinal, o vírus zika, ou as dietas detox. É também de alta qualidade a
cobertura de temas institucionais, como os Prémios Nobel ou a relação da
Fundação para a Ciência e Tecnologia com a comunidade científica, assim como
temas mais gerais como a exploração espacial, biotecnologia e saúde.

A cerimónia de entrega decorreu no âmbito
da ComceptCon, a convenção anual da associação que
reúne perto de uma centena de participantes, e teve lugar no Museu de Leiria. O tema deste ano foi “Na
Fronteira”, contando com a participação de nomes como Arlindo Oliveira e Zita Martins (do Instituto Superior
Técnico) e João Faria (do Instituto de Astrofísica e
Ciências do Espaço). João Monteiro, vice-presidente da COMCEPT foi o
responsável pela apresentação da premiada.

O Prémio COMCEPT é atribuído a personalidades
portuguesas que se tenham destacado na promoção da ciência, do pensamento
crítico e do cepticismo científico na sociedade. Anteriormente, em 2014, foi
concedido ao bioquímico e comunicador de ciência David Marçal.