FUTEBOL – Vitória justa do União Futebol Clube, por ter sido a equipa mais “combativa”

0
3


O Vigor perdeu (4- 2) na receção ao União FC. Os locais
entraram desconcentrados e viram o adversário abrir o ativo aos 2, por Bruno.

Os donos da casa não se conformaram com o resultado e
começaram a ter maior posse de bola, fazendo boa circulação, mas sem criar
perigo. Na 2.ª parte, o União FC voltou a entrar forte e conseguiu chegar ao
segundo golo, numa jogada tirada a “papel químico” da do primeiro golo: Curica
ganhou na direita do seu ataque e cruzou para Bruno finalizar (56’) Com este
golo o Vigor “acordou” e reduziu a desvantagem por Gil (76’), que, já na linha
final, obteve um golo de belo efeito.

Quando parecia que o Vigor iria chegar ao empate, o União
FC fez o seu terceiro golo, na sequência da marcação de um pontapé de canto. A
bola foi “sacudida” para fora da área local e foi ter com um jogador do União
FC, que a colocou para a pequena área, onde apareceu Curica a marcar – o lance
parece ilegal, face à posição (adiantada) em que se encontrava o árbitro
auxiliar.

O Vigor ainda reagiu e chegou ao segundo golo, na
marcação de um livre direto, executado na perfeição por Portugal (85’)
.

O União FC ficou reduzido a 10 após expulsão de Marcos
(acumulação de cartões amarelos aos 87’), com o Vigor a fazer tudo para
conseguir a igualdade. No entanto, pela frente encontrou uma equipa aguerrida e
bem organizada, que sentenciou a partida por Curica (95’). O trabalho do jovem
árbitro, excluindo o lance da autoria do seu auxiliar, foi de bom nível.
Rui Dias – Diário As Beiras