RECONHECIMENTO – Penacova homenageia José Barbosa Santos Leite

0
5

No dia, em que passam 90 anos sobre a morte do Major Santos
Leite, a Junta de Freguesia de Figueira de Lorvão, homenageou em parceria com a
Câmara Municipal de Penacova, o ilustre cidadão português que, tendo nascido em
Telhado, localidade daquela freguesia, no dia 21 de março de 1884, viria a ser
o piloto que realizou o primeiro voo militar em Portugal.


Selecionado de entre um grupo de alunos-pilotos que tinham
recebido instrução de voo nos Estados Unidos, França e Inglaterra para ser o
piloto do primeiro voo oficial militar em Portugal e, após ter sido já o
primeiro piloto português a obter o brevet militar em França, ficaria ligado à
história da aviação militar portuguesa ao ter pilotado pela primeira vez em
Portugal, no dia 17 de julho de 1916, aquele que viria a ser também o primeiro
voo oficial da Pista de Vila Nova de Rainha. Santos Leite, já com a patente de
Major viria a falecer no dia 30 de novembro de 1928, num acidente aéreo no
Aeródromo de Alverca.

Na cerimónia evocativa à memória do Major Santos Leite,
Pedro Assunção, presidente da Junta de Freguesia de Figueira de Lorvão, afirmou
que este gesto demonstra que devemos olhar para o futuro, mas sempre tendo em
conta os nossos antepassados e os marcos estabelecidos por eles. Também
presente, a família do homenageado, representada pelo neto, José Santos Leite,
agradeceu o gesto da autarquia penacovense e da Junta de Freguesia de Figueira
de Lorvão, pelo facto homenagearem o seu avô, mas mais do que isso pela
importância que atribuíram à sua carreira pioneira na aviação militar e à
importância que isso teve para o território e para o país.

Tomando a palavra, o Prof. Doutor Reis Torgal, sublinhou a
importância de não devermos “esquecer,
pois, as figuras históricas de Penacova, que são também nacionais
”.
Recordando ainda a importância de António José de Almeida na formação da
Aviação Militar, pois foi sua a proposta nesse sentido, apresentada em 24 de
Junho de 1912, lida em 26 de Junho na Câmara dos Deputados e entregue à
Comissão de Guerra e Marinha. “Certamente
de outros de que não se fala, mas que devem também ser recordados, como mais ou
menos
” disse o presidente da Assembleia Municipal Pedro Coimbra, na sessão
de 17 de Julho, lembrando talvez uma afirmação do escritor argentino de origem
portuguesa Jorge Luís Borges, uma Comunidade não existe sem História.” Acrescento a minha reflexão, que ao contrário do que se pensa, a História não é
o passado (o “facto” já feito e já morto), mas o homem no tempo e no espaço,
seja no Passado, como no Presente ou no Futuro, seja em Penacova, como em
Portugal ou no Mundo
”.

Lembrando o marco histórico hoje celebrado, Humberto
Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Penacova, frisou que, com a
colocação desta placa não se encerra a homenagem, mas sim o início, pois “esta cerimónia deve ser um exemplo de que
há figuras penacovenses que merecem ser reconhecidas pelos seus feitos, pois
levaram o nome mais longe o nome do concelho, e devem ser lembrados pelas suas
capacidades e pelos atos que realizaram
”.