SOLIDARIEDADE- Formalizado protocolo para ajudar famílias afetadas pelos incêndios de 2017

0
3



As famílias de 400 habitações destruídas pelos incêndios de
Outubro de 2017 vão ser apoiados por uma campanha solidária a desenvolver
pelo Movimento Lírio Azul porque “ter um lar é diferente de ter uma
casa
“.

Um “protocolo de cooperação solidária” para
apoiar as famílias, cujas casas arderam na totalidade nos incêndios de 15
de Outubro de 2017
” e que é “preciso aconchegar” com um
lar, foi formalizado na Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional
do Centro (CCDRC), em Coimbra, foi ontem anunciado.

O Movimento Lírio Azul (MLA), “entidade promotora e gestora desta campanha solidária” — ‘Uma casa. Um Lar‘ — assume “o compromisso de angariar bens materiais
novos, para as casas em processo de reconstrução e indicadas pela CCDRC
“,
refere o Lírio Azul, numa nota enviada à agência Lusa.

A campanha, que “faz
a ponte entre quem tem e quem precisa
“, abrangerá “400 habitações, num total de 713 pessoas,
cujas casas arderam na totalidade
“, disse a presidente da CCDRC, Ana
Abrunhosa, citada pelo MLA.

Ter um lar é
diferente de ter uma casa, mais do que uma casa é preciso aconchegar essas
famílias com um lar
“, sustentou a responsável, na sessão de assinatura
do protocolo entre o movimento e a CCDRC.

Esta parceria
está assente na confiança
“, defendeu, por seu lado, na mesma ocasião,
a fundadora e presidente do MLA, Odete Costa.

Serão destinatárias desta campanha as famílias apoiadas no
âmbito do Programa de Apoio à Reconstrução de Habitação Permanente, e cujas
casas foram objecto de obras de reconstrução total, a cargo da CCDRC,
adianta o Movimento.

Na campanha, “será
dada preferência aos bens que contribuem para o conforto das famílias como o
têxtil lar e outros que se entendam necessários para acarinhar as populações em
sofrimento
“, concluiu o MLA.

Movimento cívico, fundado em 2014, no concelho da Póvoa de
Varzim, o MLA tem como objectivo “ajudar
na construção de um mundo mais justo e inclusivo
“.

As áreas de maior intervenção do Lírio Azul são os temas da
igualdade de género/equidade, o empreendedorismo e a liderança, a discriminação
nas mais diversas formas, e a luta contra a pobreza e a exclusão social.