CIM Região de Coimbra distribui mais de 40 mil árvores aos municípios

0
2


Mais de 40 mil árvores de espécies autóctones portuguesas
estão a ser entregues aos municípios da Região de Coimbra para plantação pela
Comunidade Intermunicipal, no âmbito da aprovação da candidatura ao programa
Floresta Comum, que vai permitir a reflorestação de áreas ardidas, incentivar a
criação de uma floresta com altos índices de biodiversidade e de produção de
serviços ecológicos.

Pretende-se, assim, envolver a comunidade constituída
pelos dezanove municípios da Região de Coimbra para potenciar a criação de
estruturas e redes locais de recuperação da floresta autóctone bem como fazer
chegar o conhecimento específico e as árvores para plantar às pessoas e
instituições que possuem vontade e condições para intervir na floresta.

Na prática, o Floresta Comum disponibiliza árvores por
parte dos Viveiros Florestais do Estado e prevê a constituição anual de uma
Bolsa de Árvores Autóctones, provenientes exclusivamente de sementes
portuguesas. As árvores que integrarem esta bolsa servirão apenas para oferta
no âmbito do Floresta Comum.

A QUERCUS (Associação Nacional de Conservação da
Natureza), Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, Associação
Nacional de Municípios Portugueses e a Universidade de Trás-os-Montes e
Alto-Douro estabeleceram uma parceria com o objetivo principal da construção de
uma floresta cujos benefícios se alargam às atuais e às futuras gerações.

Através da disponibilização de árvores por parte de
alguns dos Viveiros Florestais do Estado da AFN e do ICNB, ou outras ofertas
que venham a integrar o projeto, será constituída anualmente uma Bolsa de
Árvores Autóctones, provenientes exclusivamente de sementes portuguesas. As
árvores que integrarem esta bolsa servem exclusivamente para ser distribuídas
de forma gratuita exclusivamente aos projetos que se candidataram ao Floresta
Comum, como este da CIM RC.