RALI DE PORTUGAL – Turismo Centro de Portugal destaca regresso da prova ao seu “santuário”

0
3

Dezoito anos depois, o Rali de Portugal está de volta às
estradas do Centro de Portugal. O Turismo Centro de Portugal congratula-se
com este regresso, há tanto tempo aguardado pelos entusiastas do desporto
automóvel, que recordam com nostalgia as míticas classificativas de Arganil,
Lousã e Góis, recheadas de momentos que marcam a história da modalidade.

Este acontecimento tão relevante foi o destaque da
apresentação oficial da edição de 2019 da prova. Uma apresentação que aconteceu
em dose dupla: na sede do Automóvel Clube de Portugal e na Câmara Municipal de
Coimbra. Será em Coimbra, mais concretamente na Porta Férrea da Universidade,
que, a 31 de maio, será dada a partida para os 80 carros que vão competir e que
seguem depois para os troços cronometrados de Lousã, Góis e Arganil.

Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de
Portugal, destaca que “passados 18 anos,
voltamos a ter o melhor rali do mundo no seu santuário, naquele que é
verdadeiramente o sítio natural”, e recorda a importância que este evento
assume para a região: “A captação de um grande evento como o Rali de Portugal
transforma a nossa região, ajudando a esbater as assimetrias regionais. O rali
é um veículo privilegiado para unir o litoral e o interior, uma vez que junta o
património mundial com o queijo, o vinho, o mel e tantas das nossas iguarias, e
que se transforma num grande momento de afirmação internacional
”. “O Centro de Portugal é uma
grande região que tem hoje a capacidade de atrair grandes eventos – o Rali de
Portugal, o campeonato do mundo de trail running, a nova Maratona da
Europa, em Aveiro, e tantas outras provas que este ano vão ser feitas no centro
do país, e que ajudam ao aumento da nossa atratividade
”, acrescenta.

O regresso do rali representa também um importante impacto
económico para os territórios envolvidos e que sentem já hoje a procura de
alojamentos para esses dias. “Os alojamentos, a restauração, os serviços, todo
o comércio da região vai beneficiar deste grande evento, nos dias 29, 30 e 31
de maio. Um dos nossos pré-requisitos foi que o rali dormisse pelo menos uma
noite no Centro de Portugal. Era muito importante asseguramos que os 160
pilotos ficassem por aqui, para que a região pudesse usufruir desta aventura
”,
justifica Pedro Machado.

A 53.ª edição do Rali de Portugal, sétima etapa do
Campeonato do Mundo de Ralis (WRC), decorre entre 30 de maio e 2 de junho.

O programa do Rali conta com um percurso de 1.463,55
quilómetros, dos quais 311,59 cronometrados ao longo de 20 especiais de
classificação. O shakedown tem lugar a 30 de maio no circuito de Baltar, em
Paredes, seguindo-se a partida da porta férrea da Universidade de Coimbra.

Para dia 31 estão previstas passagens por Coimbra, Lousã,
Góis, Arganil e Lousada. No dia seguinte, o Rali terá especiais em Vieira do
Minho, Cabeceiras de Basto, Amarante e Vila Nova de Gaia. Por fim, a 2 de
junho, Montim, Fafe e Luílhas acolhem as derradeiras etapas, antes da
consagração dos vencedores em Matosinhos.