TERRITÓRIO – A maioria dos autarcas quer avançar já com a regionalização

1
2

Um estudo do ISCTE revela que 77% dos autarcas consideram
que é preciso avançar “a curto prazo
com a regionalização e 84 em cada 100 autarcas querem eleger, de forma direta,
os órgãos regionais.

Neste inquérito sobre a “organização do estado e as competências dos municípios”, revelado
pelo Jornal de
Notícias
 e pela TSF, a maioria dos autarcas quer avançar com o processo,
independentemente da zona do país, do nível de desenvolvimento da região ou até
mesmo do partido.

Os autarcas do PCP são unânimes quanto à necessidade de
avançar com a regionalização e nos restantes partidos, à exceção do Bloco de
Esquerda — que não tem qualquer câmara municipal — , 65 a 67% dizem sim à
criação de regiões.

Num momento em que este tema marca a agenda, a vontade
dos autarcas é “transversal”, não só no que toca à necessidade de avançar com a
regionalização mas também no que diz respeito à maior necessidade:
dinheiro. 95% dos autarcas dizem que é preciso um reforço do investimento
do governo, colocando em risco a resposta dos municípios em setores como a
educação, a política social, a gestão de pessoal e a proteção civil municipal.

A Assembleia da República e o ISCTE promovem hoje o Fórum
de Políticas Públicas, onde estão previstas as intervenções do presidente da
Assembleia da República, Ferro Rodrigues, do Primeiro-ministro, António Costa,
da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina e do presidente da Comissão
Independente para a Descentralização, João Cravinho. O Fórum será encerrado na
terça-feira pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Esta segunda-feira, ao jornal i, o presidente da Comissão
Independente para a Descentralização, João Cravinho, coloca em cima da mesa o
cenário de demissão. “Ponderamos tudo, sem exceção”, disse o líder da “comissão
de sábios” responsável por preparar o processo de regionalização em Portugal.


1 COMENTÁRIO