TENTAÇÃO – Arroz de lampreia regista forte procura a uma semana do festival gastronómico anual

0
2


Contagem decrescente para o Festival da Lampreia de
Penacova, que vai decorrer no último fim de semana de fevereiro, entre os dias
22 e 24 (sexta-feira, sábado e domingo).

Trata-se da 21.ª edição consecutiva da iniciativa, que já
criou raízes no concelho, atraindo cerca de quatro mil visitantes aos
restaurantes aderentes durante os três dias do evento anual, que se realiza
tradicionalmente em fevereiro.

É uma das grandes festas de gastronomia que se realizam
no concelho, tal como os festivais dos “Sabores
do Rio
” na primavera, e “Sabores da
Terra
”, no outono. A esta oferta de boa mesa local acresce a Feira do Mel e
do Campo, a decorrer a 8, 9 e 10 novembro.

“O
caminho das pedras”

Todavia, por agora, o foco vai para a preparação do prato
do famoso ciclóstomo, uma especialidade deste concelho serrano, que beneficia –
em relação às localidades do litoral – do facto da “carne” se tornar mais
saborosa depois animal subir o rio, batendo nas pedras e perdendo o sabor do
mar onde viveu nos dois últimos dois ou três anos de um ciclo de vida de oito
anos. Sobe o rio no final do inverno e início da primavera, para fazer a desova
e morrer.

A
voz do especialista

Jorge Côta, responsável há décadas por um dos
restaurantes tradicionais desta especialidade em Penacova, explica que “à experiência na confeção desta iguaria
junta-se agora o conhecimento do ciclo de vida da lampreia, o que também é útil
para quem está na cozinha
”. De acordo com o cozinheiro, “o melhor sabor obtém-se a partir de um boa
lampreia, bem amanhada e marinada
”, quando a pele do animal já está escura,
sinal de que fez o percurso das pedras. Para isso é necessário que os rios
(neste caso concreto, o Mondego) leve bastante água, o que varia de ano para
ano, sendo que as chuvas de janeiro e primeiros dias de fevereiro deste ano
deram um bom contributo para um bom volume de água.

Embora o ponto alto da época da lampreia seja o festival
que agora se anuncia, os restaurantes do concelho – 12 dos quais são aderentes
a esta iniciativa conjunta com o município – já estão a servir o prato desde
meados de janeiro, até final de abril.

Ao longo desta época, são vários os autocarros que fazem
a viagem de localidades da região com o mesmo destino, transportando
verdadeiros apreciadores desta especialidade. Jorge Côta disse que, ainda no
último fim de semana, chegaram dois autocarros de Lisboa, bem como uma família
que lhe contou que viajava da capital portuguesa para Santiago de Compostela
(Espanha) e fez um desvio até Penacova.

Preparações
gourmet têm surgido nos últimos anos

Embora reconheça que as preparações gourmet, que se têm
confecionado nos últimos anos, tenham o seu próprio espaço, o nosso
interlocutor considera que “o que é verdadeiramente tradicional e é cartaz do
concelho é o arroz de lampreia feito de maneira tradiciona
l”.

Embora o arroz de lampreia faça parte de um menu que não
fica barato (normalmente acima dos 25 euros), durante o Festival da Lampreia de
Penacova – em cada ano – os preços são nivelados entre os diversos
restaurantes, como forma de promoção desta iguaria, que é servida um pouco por
todo o país, mas assume principal expressão em Penacova. 

António Rosado – Diário As Beiras