CRISE ENERGÉTICA – Autarquias preparadas para a greve na “medida do possível”

0
2

Em declarações aos jornalistas, em Coimbra, à margem da
cerimónia evocativa dos 50 anos da Crise Académica de 1969, Manuel Machado
garantiu que, apesar da situação de falta de combustível ter “alguma
complexidade, estão assegurados os serviços essenciais
“, como os
transportes públicos ou a recolha de lixo.

No caso de Coimbra, autarquia a que preside, Manuel
Machado indicou que o município tem condições de abastecimento do serviço
municipalizado de transportes urbanos “até ao final do próximo domingo“.

O presidente da ANMP manifestou ainda a “esperança profunda” de que as
negociações que disse estarem em curso envolvendo o Governo, a associação
representativa dos transportadores e o sindicato que convocou a greve resultem
num entendimento que ponha fim à paralisação.

Apelamos a
que se consiga chegar a um acordo que intervenha de forma decidida, definida,
concreta, real, sobre esta grave questão que está a ser suscitada e que não
pode ser desencadeada sem que o Estado exerça os seus poderes plenos de soberania.
É o interesse nacional que está em causa
“, argumentou Manuel Machado.

A greve dos motoristas de matérias perigosas, que começou
às 00:00 de segunda-feira, foi convocada pelo Sindicato Nacional de Motoristas
de Matérias Perigosas (SNMMP), por tempo indeterminado, para reivindicar o
reconhecimento da categoria profissional específica.

A Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (Apetro)
informou que não foi ainda retomado o abastecimento dos postos de combustível,
apesar da requisição civil, e que já há marcas “praticamente” com a rede esgotada.

O primeiro-ministro admitiu alargar os serviços mínimos e
adiantou que o abastecimento de combustível está “inteiramente assegurado” para aeroportos, forças de segurança
e emergência.

Na terça-feira, alegando o não cumprimento dos serviços
mínimos decretados, o Governo avançou com a requisição civil, definindo que até
quinta-feira os trabalhadores a requisitar devem corresponder “aos que se disponibilizem para assegurar
funções em serviços mínimos e, na sua ausência ou insuficiência, os que constem
da escala de serviço
“.

No final da tarde de terça-feira, o Governo declarou a
“situação de alerta” devido à greve, avançando com medidas
excecionais para garantir os abastecimentos e, numa reunião durante a noite com
a Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias
(ANTRAM) e o Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas, foram
definidos os serviços mínimos.

Militares da GNR estão de prevenção em vários pontos do
país para que os camiões com combustível possam abastecer e sair dos parques
sem afetarem a circulação rodoviária.