PENACOVA, Mealhada, Mortágua e Bussaco vão transformar “sobrantes” florestais em energia

0
1

A biomassa florestal residual da Mata do Bussaco e dos
municípios da Mealhada, Mortágua e Penacova passará a ser encaminhada para as
unidades do grupo Altri para ser usada como fonte de energia, foi esta
sexta-feira anunciado.

Um protocolo nesse sentido foi assinado esta manhã, no
Luso, entre a Fundação Mata do Bussaco (FMB), os três municípios e o
conglomerado português de produção de pasta de eucalipto e gestão florestal.

A designação “biomassa
florestal residual
” abrange os chamados “sobrantes” da limpeza das matas, nomeadamente no âmbito da
prevenção e combate a incêndios, mas também de explorações florestais e de
trabalhos de jardinagem.

Abandonar os
materiais sobrantes, deixando-os entregues à sua ‘sorte’ é, além de um ato
irresponsável, um enorme perigo para a floresta. Fazer queimadas é ou pode ser
outro comportamento igualmente irrefletido
“, explica António Gravato,
presidente da FMB.

O que estes três municípios com território na serra do
Bussaco e o grupo Altri se propõem fazer com este projeto apadrinhado pela
Fundação Mata do Bussaco “é dar um
bom destino aos materiais sobrantes da limpeza das florestas da Mealhada,
Penacova e Mortágua
“, refere Gravato.

É um excelente
exemplo de boa intermunicipalidade, que devia ser replicado noutros pontos do
país
“, acrescenta o líder da entidade que gere os 105 hectares da mata
nacional situada no concelho da Mealhada.

Também o anfitrião da assinatura do protocolo, o presidente
da Câmara da Mealhada, Rui Marqueiro, destaca a importância de gerir a biomassa
residual dos municípios e da Mata.

Este projeto
intermunicipal pode significar, é essa a nossa convicção, o encontrar de uma
solução conjunta para os materiais combustíveis, altamente perigosos, que
sobram após a limpeza das florestas, de pequenas explorações e de trabalhos de
jardinagem
“, refere o autarca.

No âmbito do protocolo, os três municípios circundantes do
Bussaco e a própria Mata comprometem-se a depositar a biomassa florestal
residual em Unidades de Receção nos respetivos territórios.

Pelo seu lado, a Altri Florestas e a Altri Madeiras assumem
que passarão a adquirir estes “sobrantes
para aproveitamento energético, através da queima nas centrais de biomassa do
grupo.

O grupo compromete-se ainda a prestar apoio técnico na
recolha e entrega da biomassa florestal residual proveniente “dos trabalhos de instalação, gestão e
exploração florestal, de defesa da floresta contra os incêndios, de limpeza de
matas, podas, cortes fitossanitários e outros trabalhos de manutenção de terrenos
e espaços verdes
“.