CIÊNCIA VIVA – O céu de junho de 2019

0
4

Junho é o mês em que Júpiter e Saturno voltam a ser
visíveis logo no início da noite, e que nos vão acompanhar nos meses de verão.
No início do mês, Júpiter nasce ao pôr-do-Sol, nascendo cada vez mais cedo de
dia para dia. No final do mês este planeta está já cerca de 20 graus acima do
horizonte, ao anoitecer. Já Saturno nasce praticamente à meia-noite no início
do mês, mas no fim do mês já está visível ao anoitecer.

No dia 3 a Lua está em fase de nova e no dia 5, um fino
crescente da Lua passa a 3 graus do planeta Marte, ao anoitecer.

No dia 10 a Lua atinge o quarto crescente e nesse mesmo
dia, Júpiter atinge a oposição (ponto em que o planeta está oposto ao Sol, no
céu). Este é também o ponto em que o planeta está mais próximo da Terra, e por
isso, em que está mais brilhante no nosso céu.

O céu virado a Noroeste, às 22:15 do dia 16 de junho, com os planetas Marte e Mercúrio, na constelação dos Gémeos, praticamente “colados” um ao outro (Imagem: Ricardo Cardoso Reis/Stellarium)
A estrela avermelhada à direita de Júpiter é Antares, uma
supergigante vermelha a aproximadamente 550 anos-luz. Esta estrela é cerca de
750 vezes maior que a nossa estrela, ou seja, se estivesse no lugar do Sol,
ocuparia todo o espaço até um pouco para lá da órbita de Marte.

Esta estrela é conhecida como o coração do Escorpião, e
embora as histórias divirjam, quase todas concordam que este Escorpião terá
sido o que matou Orion, razão pela qual, no céu, Orion e Escorpião estão em
lados opostos, para nunca se encontrarem. Assim, Orion é uma constelação que se
vê melhor no inverno, enquanto o Escorpião vê-se melhor durante o verão.

No dia 16 a Lua, praticamente cheia, passa a apenas 2 graus
de Júpiter, e no dia seguinte atinge a fase de lua cheia.

Dia 18 os planetas Mercúrio e Marte estão praticamente um
em cima do outro, a menos de meio grau um do outro, com os ambos visíveis ao
anoitecer, virados mais ou menos a Noroeste. Na madrugada de 18 para 19 a Lua
passa a 1 grau do planeta Saturno.

O céu virado a Sudeste, às 22:00 do dia 30 de junho, com os planetas Júpiter e Saturno já acima do horizonte (Imagem: Ricardo Cardoso Reis/Stellarium)
No dia 21 de junho, às 16:54, ocorre o solstício de Verão
(no hemisfério Norte). Neste dia, o Sol atinge o ponto mais alto no céu (e
passa mais tempo acima do horizonte) em todo o ano. Neste dia o Sol em Bragança
nasce às 5:52 e põe-se às 21:05, enquanto no Porto nasce às 6:02 e põe-se às
21:11. Em Coimbra o dia dura das 06:04 às 21:07, em Lisboa das 06:12 às 21:05 e
em Faro das 06:12 às 20:55. 

No Funchal (arquipélago da Madeira) o Sol nasce às
07:00 e põe-se às 21:19. Já em Ponta Delgada (nos Açores), nasce às 06:21 e
põe-se às 21:08.
Finalmente, no dia 25, a Lua atinge a fase de quarto
minguante.
Boas observações.
Ricardo Cardoso Reis (Planetário do Porto e Instituto de
Astrofísica e Ciências do Espaço)
Ciência na Imprensa Regional – Ciência Viva

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui