ILUSTRES (DES)CONHECIDOS – Frei Carlos de S. Boaventura (1633 – 1707)

0
4

Podia ter sido Bispo do Algarve,
mas recusou a proposta que lhe fizera, nesse sentido, o  Rei D. Pedro II. Falamos de Fr. Carlos de S.
Boaventura, nascido em Penacova em 1633. Filho de Gabriel Galvão de Macedo,
licenciado e cavaleiro da Ordem de Cristo, e de Isabel Baptista da Silva.
Estudou Teologia na Universidade de Coimbra, onde recebeu as insígnias
doutorais. Ordenou-se e foi Reitor do Colégio de Évora.  No Convento da Serra da Ossa, junto a Redondo,
onde se recolheu mais tarde, desempenhou o cargo de Geral, por duas
vezes e foi reconhecido como um dos frades mais importantes da Congregação.  Havia entrado 
naquele convento no dia 13 de Maio de 1659.
Convento da Serra da Ossa onde viveu e morreu Fr. Carlos de S. Boaventura
(Foto: Fundação Henrique Leote)
Além das “Constituições dos
Eremitas de S. Paulo da Serra da Ossa” escreveu diversas obras. Refiram-se as
principais:  “Index Totius Theologia
Moralis”, “Tractatus de Consciência” e “Discursos Predicáveis”. Foi considerado
um dos maiores letrados do seu tempo. Refere a “Crónica dos Eremitas da Serra
da Ossa”(1745), de Frei Henrique de Santo António, que o “Doutor Fr. Carlos de
S. Boaventura” foi “respeitável entre os homens mais sábios”, pela “vastidão
das suas letras em toda a sorte de faculdades”. Noutro passo diz-se que fora um
dos “Padres mais doutos, mais aplicados e versados na lição da História” daquela
congregação eremítica.
Num apontamento biográfico referente a
um retrato que fará  parte do espólio da
Biblioteca Nacional de Lisboa pode ler-se  que se tratou de “um religioso exemplar” que
“nunca dormiu na cama” e que “passava a maior parte da noite em contemplação”.
No seu currículo consta também a
ligação à Inquisição. Foi “Qualificador do Santo Ofício” e “Examinador das Três
Ordens Militares”. No desempenho deste primeiro cargo, verificava se os livros
e as proposições estavam conforme os preceitos da Fé e no segundo papel,
averiguava se as Ordens de Cristo, de Avis e de Santiago de Espada, eram fiéis
aos preceitos das mesmas.
Os Eremitas de S. Paulo da Serra
da Ossa instalaram-se naquele local em 1371. Seguiu-se Avis e, nos finais do
séc. XV, detinham já treze eremitérios no Alentejo. 
Hotel Convento de S. Paulo
O antigo Convento da Serra
da Ossa é, desde 1993, uma unidade hoteleira de quatro estrelas: o Hotel
Convento de S. Paulo. Neste local morreu, com 74 anos, Frei Carlos de S.
Boaventura. Penacova havia sido o seu berço e Coimbra a cidade da sua
juventude.
                                                                                                                                       David Almeida