CISTERMÚSICA – O Coro de Cámara “La Trova” vem cantar e encantar ao Mosteiro de Lorvão

0
5

O Festival de Música de Alcobaça afirma-se como “um clássico para todos”, com
programação cultural de excelência e acessível, em muitos territórios
descentralizados.

No Mosteiro de Lorvão, o festival tem-se apresentado desde 2015, proporcionando programação de excelência naquele Mosteiro, com entrada livre. Este ano, a 19 de julho, pelas 21h30, o “Coro de Càmara La Trova“, fundado e baseado em Madrid, apresenta o programa “Ai Mi Dios”, de Música Sacra da Idade Média à Atualidade, com obras de Pedro de Cristo, Palestrina, Victoria, Michael Haydn e Busto. Este grupo vocal incorpora cantores de diversas nacionalidades, interpretando renascentista profana e religiosa de vários países europeus, bem como obras de outras épocas, incluindo a contemporânea.


O grupo tem atuado em cenários espanhóis e internacionais, com destaque para a Abadia Cisterciense de Santa Maria de la Huerta (Madrid), Ubach-Palenberg (Alemanha) e Landgraaf (Holanda). Em julho de 2019 farão três concertos no âmbito do Cistermúsica, integrados na programação Mostra Espanha 2019. A par desta rota, a Programação “Em Rede” promove a descentralização cultural, levando programação artística diferenciadora a outros municípios, sobretudo, da região Centro, com crucial impacto na estratégia cultural da região. Estas sinergias dão-se com outros territórios com que Alcobaça tem afinidade, como é o caso de Coimbra, que também possui Património Mundial da UNESCO, ao qual o festival chega este ano, com um programa de dança intitulado “SubRosa”, pela Companhia de Dança de Almada, no dia 12 de julho, às 21h30, no Pátio das Escolas da Universidade de Coimbra.


Já com muitos nomes confirmados e repleta de grandes
artistas, a 27.ª edição do
Cistermúsica – Festival de Música de Alcobaça será
uma das mais ambiciosas da história do festival, decorrendo este ano entre os
dias 28 de junho e 28 de julho. Com o horizonte posto na aproximação do grande
público à música clássica – tem sido essa desde sempre, a sua grande missão – o
festival procura, em 2019, dar alguns dos melhores exemplos de como pode ser
ténue a fronteira entre o “Erudito e Popular”, assumindo este princípio como
fio condutor da programação.



Ser compreensível sem cair na banalidade faz parte da
música clássica. É nesse contexto que, juntando obras célebres e obras raras, a
programação percorre os mais diversos estilos e géneros, da Idade Média aos
nossos dias. Também a música portuguesa, como é tradição, está presente desde a
época de ouro da polifonia até à música dos nossos dias.



Com a “Programação
Principal
” o festival apresenta propostas que passam pela música coral e de
câmara, galas líricas, recitais de piano, grandes concertos orquestrais. A
programação “Júnior e Famílias” apresenta um conjunto de atividades de caráter
mais pedagógico e didático, pensadas para aproximar crianças, jovens e
respectivas famílias à música e às artes em geral. Por sua vez, a Programação
OFF contempla espetátulos onde se promove o cruzamento da música erudita com
outras expressões artísticas, sobretudo a dança contemporânea, o cinema, e
outras expressões musicais, como o fado e o jazz. O crescimento do Cistermúsica
evidencia-se também pela atual dimensão do festival, que extravasa as
fronteiras do concelho de Alcobaça e tem agora um alcance nacional, sobretudo,
através da “
Rota de Cister” , que
apresenta concertos em mosteiros cistercienses de norte a sul do país, de
Lisboa a Évora, passando por Arouca e Penacova.