EN110 – Presidente Humberto assume que obras de consolidação foram a seu pedido

0
2

O presidente da Câmara Municipal de Penacova, Humberto
Oliveira, explicou ontem ao jornal que parte da responsabilidade das obras que
a Infraestruturas de Portugal (IP) está a realizar na Estrada Nacional 110 é
sua já que alertou a organização para o risco dos taludes e pediu uma
intervenção.

As obras provocaram o corte do trânsito da EN 110, entre
os quilómetros 7,1 e 8,6 da via, na povoação do Caneiro.

De acordo com a Infraestruturas de Portugal, a obra tem
uma duração prevista de 68 dias e deverá estar concluída até final do mês de
julho.

O corte teve impacto na atividade de operadores
turísticos que promovem a descida do rio Mondego em kayak, mas também nos
transportes na povoação do Caneiro, que ficaram reduzidos.

Perante a comunicação que fez à IP, Humberto Oliveira
justifica: “também não me sinto
confortável em pedir alterações ao plano de investimento [da IP] que eu pedi
”.

Sublinha porém que “A
Infraestruturas de Portugal falhou
” por não ter informado do corte com a
devida antecedência, encerramento esse para o qual a IP invoca questões de
segurança.

Em questões de
segurança não me meto
”, sublinha, recordando outras situações como a queda
da estrada em Borba.

Humberto Oliveira nota ainda que para além deste troço,
há mais taludes em risco.
Quanto aos operadores turísticos, reconhece a sua
situação por causa do período temporal, refere.

No que diz respeito aos transportes, procuraram encontrar
com a Transdev uma solução que mitiga o problema.

Por isso, para além da carreira diária do Caneiro para
Coimbra pelas 07H00 e do percurso inverso às 19H15, de segunda a sexta-feira, o
município assegura um transbordo com saída do Roxo às 17H30 para o Caneiro,
explicou a vereadora Sandra Ralha. No que diz respeito ao transporte escolar, a
câmara disponibilizou viaturas para os alunos, refere.

Para Penacova, a autarquia tem ainda disponível um
transporte à quinta-feira, com saída do Caneiro às 09H30 e regresso às 12H00,
solução concertada pela vereadora com a população. Para além disso, é possível
contactar o serviço de Educação do município (que tem a responsabilidade dos
transportes escolares e outros) no caso de ser necessário transporte em outros
horários e situações, garante a vereadora.

Maria Inês Morgado – Diário As Beiras