Lorvão: chega recomendar?

0
5
Em
tempo manifestei aqui, no PA [que tem sido inexcedível na sua função de
informar sobre o tema] a minha opinião acerca da questão que o Movimento +
Saúde tem vindo a defender, da utilização das instalações do antigo Hospital Psiquiátrico,
com reconversão para Unidade de Cuidados Continuados.
Lembrar-se-ão
os meus conterrâneos de eu alertar para o perigo da entrada da política em
cena; lembrar-se-ão, também, de eu ter convocado os Penacovenses para uma saudável
união em torno desta causa.
Entretanto,
foi ultrapassada com êxito a fase da apresentação, na AR, da nossa petição,
marco indelével de afirmação do nosso crer!
Igualmente
foi ultrapassado a fase da produção do Relatório respectivo, na Comissão de
Saúde [que é bom saber-se ter sido produzido pelo nosso Deputado Pedro Coimbra,
com o qual conversei a propósito por diversas vezes e que, tanto quanto posso
testemunhar, não
tentou,  nunca, até ao momento, aproveitar-se politicamente
desse facto]!
Mais:
esse concreto Relatório daquele nosso conterrâneo Deputado Relator, FOI
APROVADO POR UNANIMIDADE!
Igual
postura de não aproveitamento apreendi, também, até ao momento, do nosso também
conterrâneo e Deputado Maurício Marques.
Aqui
chegados, todos sabemos que o tema não merece nem unanimidade na nossa terra
(embora exista, na análise que faço um largo consenso) nem unanimidade no País e
eu diria que isso, em democracia, só é salutar; e sendo salutar, pela
demonstração inequívoca da maturidade que atingimos, NÃO PODE querer dizer que
os defensores de outra alternativa tenham que ser menorizados, NEM QUER DIZER
que alguns defensores da ideia pura se possam colocar naquela postura de que ideias
boas são só as suas, ou de que isso pode ser tema de campanhas …
A
ideia pura, digamos assim, que eu também defendo, é a dos Cuidados Continuados
por conta do Estado, por esse ser o papel que EU LHE EXIJO – a ele ESTADO – no
acompanhamento de uma solução digna para os nossos idosos, incapacitados e
doentes, afinal contribuintes líquidos do SNS nas suas vidas.
Ora
bem,
No
próximo dia 2 de Julho, Terça Feira, pelas 16 horas, vai a APRECIAÇÃO na AR, a
nossa Petição e, a propósito disso, são conhecidos 3 projectos de resolução: do
PEV, do PCP e do BE.
Os
projectos de resolução poderão, a posteriori, ser votados, num contexto em que
pretendem fazer recomendações ao Governo sobre a justeza da tal solução pura de
que, acima, falei.
Eu
não acredito que se consiga obter, a propósito, votação unânime de qualquer das
resoluções, dado o contexto político actual e dado o facto de subsistirem
divergências que se estão a esgrimir, envolvendo agentes políticos, na minha
opinião em prejuízo da nossa causa.
Mas
convenhamos e – humildemente embora – esclareçamos, como também, na minha
visão, o Movimento deve fazer:

A ida a plenário da nossa petição é um segundo marco distintivo, sem dúvida e
eu tenho-me batido muito por isso;

A recomendação unânime ao Governo seria excelente;

Mas de nada valeria – ou valerá – ainda assim, sem que sejam assegurados os
meios financeiros necessários, no Orçamento de Estado.
Documento
esse onde, até agora, nessa vertente, Lorvão foi completamente esquecido,
certamente por os Partidos Políticos [TODOS] terem encontrado outros interesses

embora não tenham coragem para o admitir!
Luís
Pais Amante