ENSINO – 24 mil professores conhecem hoje as escolas públicas onde vão ser colocados

0
2

As listas de
colocação de professores
 estão publicadas no portal da
Direção-Geral da Administração Escolar, cerca de um mês antes do início do ano
letivo 2019/2020, o que acontece pela primeira vez nos concursos
nacionais. 
Esta
publicação, s
egundo o Ministério da Educação “permite aos docentes conhecerem mais cedo as suas colocações e,
assim, terem mais tempo para se prepararem para o início das aulas. Por esta
mesma razão, os Agrupamentos de Escolas ou Escolas não agrupadas têm igualmente
melhores condições para o começo do ano lectivo
”. 
De acordo com a mesma fonte, “as
listas agora publicadas referem-se à mobilidade interna, relativa a docentes do
quadro (Quadros de Escola/Quadros de Agrupamento e Quadros de Zona Pedagógica),
e à colocação inicial, para os docentes contratados
”. 
Os responsáveis pelo Ministério da Educação adiantam que “na mobilidade interna foram distribuídos
mais de 1 700 horários completos e cerca de 400 horários incompletos. Todos os
restantes cerca de 13 000 docentes mantiveram a colocação nas escolas onde
estiveram no ano letivo anterior
” e que, “quanto aos cerca de 300 os docentes que ficaram em ausência de
componente letiva, serão colocados prioritariamente nas reservas de
recrutamento
”.
A tutela informa ainda que “os docentes agora colocados na mobilidade interna e na contratação inicial
devem apresentar-se nos respetivos Agrupamentos de Escolas ou Escolas não
agrupadas no prazo de 72 horas. 
Contudo, os docentes que não o possam fazer presencialmente por motivo de
férias, maternidade, doença ou outro motivo previsto na lei, podem comunicar
esse facto ao Agrupamentos de Escolas ou Escolas não agrupadas até ao primeiro
dia útil do mês de setembro
.”
O Ministério da Educação relembra “que
foram vinculados este ano mais 542 docentes tendo, durante esta legislatura,
cerca de 8 000 professores sido vinculados aos quadros do Ministério da
Educação, o que se reflete de forma determinante no reforço da estabilidade do
corpo docente a lecionar nas escolas e uma paulatina e consistente renovação
dos quadros
”.