TURISMO – Diário As Beiras revela novos projetos para as praias do Reconquinho e do Vimieiro

0
6


O Instituto Pedro Nunes (IPN) está a colaborar com o
Município de Penacova na conceção do Quilómetro Zero, avançou ontem ao DIÁRIO
AS BEIRAS o vice-presidente da câmara João Azadinho.

Isto porque, para além de um centro de receção a quem faz
turismo de natureza, a ideia para o Quilómetro Zero passa pela criação de uma
incubadora de empresas desta área.

O Quilómetro Zero é um projeto que está a ser preparado
para ser instalado junto à Praia Fluvial do Reconquinho.

Espaço balnear do vale da vila de Penacova, atrai não só
banhistas, como praticantes de atividades aquáticas (como as descidas do rio
Mondego em kayak). 

Há vários trilhos nas imediações da praia e esta encontra-se
mesmo à beira da Estrada Nacional 2, uma rota turística em voga.

Em Penacova, pode obter-se o carimbo do passaporte da EN2
no posto de turismo ou na câmara municipal e o vice-presidente da autarquia
garante que todos os dias se vê alguém a pedir este certificado.

A presença próxima de um parque de campismo é uma mais
valia para esta praia. No entanto, desvia um pouco o fluxo de ocupação do
parque de campismo municipal, explica João Azadinho. O vice-presidente conta
que o município gostaria de encontrar uma solução principalmente para os
caravanistas que permanecem todo o ano, e encaminhá-los mais para o outro
parque.

A dinâmica turística que já conflui no Reconquinho e no
concelho em geral tem atraído o investimento privado, com o surgimento de
várias habitações de alojamento local (apoiada também pela falta de unidades
hoteleiras).

A
biblioteca está na praia

Na Praia Fluvial do Reconquinho, em Penacova, não ter um
livro ou um jornal consigo não é razão para não ler. A Biblioteca Municipal tem
estado presente neste espaço ao longo da época balnear com uma viatura e é
possível requisitar não só livros, revistas e jornais, como também jogos. Graça
Manuela, assistente operacional desta estrutura, contou ao DIÁRIO AS BEIRAS que
os jogos e livros infantis são pedidos pelas crianças. Junto dos mais graúdos,
os livros sobre Penacova têm alguma procura. Há inclusivamente leitores
assíduos que todos os dias aqui requisitam o seu jornal. Esta é uma forma de
levar a leitura à praia e de “procurar
novos leitores
”, explica Graça Manuela.

Zona
com areia e campo de jogos no futuro do Vimieiro

A pacata e bucólica Praia Fluvial do Vimieiro vai ter no
próximo ano um espaço com areia e um campo de jogos de praia.

O presidente da União de Freguesias de São Pedro de Alva
e São Paio do Mondego, Vítor Cordeiro, explicou ao DIÁRIO AS BEIRAS que isso
está previsto para a segunda fase da intervenção que está a ser realizada nesta
praia, co-financiada pelo programa Valorizar do Turismo de Portugal.

A primeira fase está a decorrer agora no pavimento
envolvente ao espaço da praia e, de acordo com o autarca local, está a correr
bem, apesar de, na época de férias, haver algumas dificuldades em ter
mão-de-obra.

As duas fases deverão estar concluídas até 30 de junho de
2020, refere Vítor Cordeiro, que espera que as obras não cheguem a colidir com
a época balnear.

Recorde-se que o presidente da Câmara Municipal de
Penacova, Humberto Oliveira, disse em junho que a primeira fase da obra deve
estar concluída entre setembro e outubro. Na altura, referiu ainda que a
segunda fase inclui a requalificação de casas de banho, entre outras
estruturas.

Para além disso, a margem do rio Alva onde está a praia
vai ser alvo de requalificação, para além da área ajardinada e da “ilhota”, diz
Vítor Cordeiro.

O “ex-libris da
freguesia
” é cada vez mais procurado, segundo o autarca local, e não apenas
para banhos, mas também para refeições de confraternização no espaço de
merendas. A terra recebe muitos emigrantes nesta altura do ano pelo que é um
espaço “propício a que se reencontrem as
respetivas famílias
”.

Esta freguesia,
esta autarquia, tem feito para que tudo aconteça
” (o aumento da procura),
acrescenta. “Julgo que este espaço ainda
tem muito para dar, ainda podemos contar muito com o Vimieiro e, seguramente,
ainda vamos ouvir falar muito do Vimieiro
”.

O
moinho do senhor Américo

A força da água do rio Alva já deu vida a vários moinhos
junto à Praia Fluvial do Vimieiro, mas só o de Américo Coimbra subsiste.
Trabalhou 50 anos em Coimbra e agora é o único residente permanente das casas
desta praia (a maioria é alojamento local).

O moinho foi da família (ainda dos pais da sua mãe) e, de
vez em quando, volta a pô-lo a funcionar. “Eu
gosto disto
”, diz ao DIÁRIO AS BEIRAS, e só a sua manutenção é que dá algum
trabalho, garante.

Américo Coimbra explica que muitos que lhe pedem para ver
o moinho, dizem que as suas famílias tiveram moinhos, mas assegura que, desses,
ninguém lhe disse que ainda o tinha. O mecanismo produz 12 quilos de farinha
por hora, ou seja, um alqueire
Maria
Inês Morgado
– Diário As Beiras