IP3 – Obras obrigam a desvio de trânsito em dois quilómetros durante 6 semanas

0
3

Circular no IP3 ao longo do próximo mês e meio vai ser
ainda mais difícil, atendendo a que, devido à empreitada de reabilitação que
está a decorrer, “haverá necessidade de se proceder a desvio de trânsito, no
sentido de circulação Viseu/Coimbra, entre os quilómetros 66,75 e 64,5, ou seja
em pouco mais de dois quilómetros
“.

O desvio terá lugar sensivelmente a meio do troço em que
estão a decorrer trabalhos na estrada entre o nó de Penacova (km 59) e Ponte da
Foz do Dão (km 75,16).

De acordo com informação da empresa pública Infraestruturas
de Portugal (IP), o “desvio será efetuado pela estrada paralela ao IP3 (antiga
Nacional 2), e estará devidamente assinalado e sinalizado, sendo a sua
implementação executada no próximo dia 23 de setembro, prevendo-se uma duração
de 6 semanas
”.

Desde o primeiro dia de julho último, que há
condicionamento neste itinerário, prolongando-se por um período de 11 meses.

Sacrifício agora para beneficiar no futuro

A IP faz notar que este incómodo para os automobilistas
representa no futuro “a melhoria das condições de segurança da infraestrutura e
fundamentalmente dos seus utilizadores
”.

A empreitada de requalificação do troço do IP3, ao longo
dos referidos 16 quilómetros representa um investimento no valor de 11,8
milhões de euros “no reforço das condições de circulação, mobilidade e
segurança de uma das principais vias de ligação do interior do país
”.

Inclui a construção de dois novos nós de ligação (Nó de
Oliveira do Mondego e Nó de Cunhedo), eliminando os atuais cruzamentos de nível
existentes com viragens à esquerda e colocação de separador central, para além
do reforço das condições de estabilidade de taludes com a colocação de
estruturas de suporte em betão, pregagens e redes de contenção.


António Rosado – Diário As Beiras