SÃO PEDRO DE ALVA – Antigos Combatentes reencontram-se em almoço convívio

0
3

A Companhia de Artilharia 1542, tendo como lema «Pátria,
Camaradagem, Astúcia
», que esteve em missão de soberania no distrito do Niassa,
em Moçambique, entre 1966 e 1968, reuniu-se no dia 21, sábado passado, na Casa
do Povo de São Pedro de Alva, sob a organização do combatente Alfredo Santos
Fonseca, que nas suas palavras, durante o almoço de convívio, servido pelo Restaurante
A Saborosa, e que entre combatentes e familiares quase chegou aos 100
presentes, sublinhou que «cada vez somos
menos a comparecer, uns porque entretanto nos deixaram, outros devido a doença
»,
mas confessou que, mesmo assim, via ali camaradas vindos do sul até ao norte,
vincando que alguns camaradas que lá ficaram, sepultados naquele sertão
africano, os seus familiares não deixam de estar presentes desde o primeiro
dia, honrando a sua memória.

Não deixou de referenciar um desabafo de um seu camarada,
ao dizer que «quando não puder ir de carro
por já não ter forças para conduzir, vou numa cadeira de rodas
». No final
da sua intervenção, que não deixou de recordar momentos aziagos que passaram em
combate, e pedindo que «nunca deixem de
praticar este gesto, o qual é muito nobre, mas difícil de entender por quem viveu
os dramas que nós vivemos em comum
», Alfredo Fonseca pediu um minuto de silêncio
em memória dos que já «não estavam entre
nós
».

Antes do almoço, foi celebrada na missa igreja matriz, pelo
antigo pároco de São Pedro de Alva, Padre Correia, que detém o seu múnus em
Mortágua. Evocando as palavras de S. Marcos, vincou que a vida é bela quando há
harmonia e paz, não deixando de ter palavras no sentido de que «continuai com estes convívios, pois são
sempre um sinal de que queremos em Deus
», tal como alguém disse, «quantas vezes, de facto, chamámos pelo Criador
para nos dar forças para continuar
».
José
Travassos de Vasconcelos
– A Comarca de Arganil