REDE SOCIAL – Penacova debate Envelhecimento Ativo

0
6

Diferentes
Perspetivas sobre o Envelhecimento Ativo
” foi o tema da IV Encontro de
Geriatria, uma iniciativa promovida pela Rede Social de Penacova, em parceria
com o Município de Penacova, o Grupo de Solidariedade Social de Miro,
Desportivo, Recreativo e Cultural de Miro e a AD ELO – Associação de
Desenvolvimento Local da Bairrada e Mondego.

Na sessão de abertura, presidida por
Sandra Ralha, vereadora da Acão Social da autarquia penacovense, saudou todos
os presentes, dando particular destaque às parcerias desenvolvidas pela Rede
Social de Penacova, para que eventos desta dimensão possam ter lugar. Sandra
Ralha destacou a importância da realização deste encontro, “não apenas pelo número de pessoas que se
deslocaram a Penacova para assistir ao mesmo, mas também por aqueles que aqui
vieram partilhar conhecimentos, experiências, saberes técnicos e do dia-a-dia.
O meu mais profundo agradecimento a todas as IPSS’s de Penacova, às suas
direções e colaboradores, pelo trabalho exemplar que, todos os dias, levam a cabo,
com a população sénior
“. A edil sublinhou ainda que “devemos, todos, sentir um enorme orgulho
pelas respostas sociais que conseguimos dar. Todos, numa parceria real e
concreta, num objetivo comum. É com enorme satisfação que observamos as
valências que os nossos idosos podem usufruir e a capacidade das IPSS’s do
concelho em lhes proporcionar essas valências quer se encontrem em  lar,
centro de dia ou apoio domiciliário, quer frequentem aulas de hidroginástica
sénior ou grupos corais. É com enorme satisfação que observamos o trabalho dos
nossos técnicos e demais colaboradores nesta área, o seu esforço e empenho em
concretizar aquelas que são as nossas prioridades: combater o isolamento e
promover o envelhecimento ativo
”.
Os dois painéis do IV Encontro de
Geriatria, “Passado, Presente e Futuro
e “Práticas de Envelhecimento Ativo em
Penacova
”, foram respetivamente moderados, por Sandra Pereira (animadora
sociocultural do GSSDCR de Miro) e Patrícia Silva (Assistente Social da Câmara
Municipal de Penacova), contaram com a participação dos oradores Manuel
Teixeira Veríssimo, Sofia Ortet, Rita Leonardo e Mónica Sousa que,
respetivamente, apresentaram as suas comunicações: “Geriatria e Gerontologia: do passado ao futuro”; “Problemas
Ambientais, Saudáveis, Inteligentes e Amigáveis: Qual o seu papel no
envelhecimento ativo?”; “A Importância da Literacia: Letras Prá Vida”; “Balanço do Projeto Letras Prá Vida em
Penacova
”; “Projeto Virtuall:
Simbiose, Inovação, Envelhecimento e Qualidade de Vida
”. A finalizar o II
Painel Luís Francisco Marques, apresentou o Programa de que é coordenador em
Penacova, o Contrato Local de Desenvolvimento Social 4G.
Ao longo do dia e, porque o evento previa
a inscrição para Comunicações Livres, os presentes puderam assistir às apresentações
de Rui Santos com a temática “Reabilitação
Geriátrica
”, Sara Martins “Envelhecimento Ativo e Prevenção de Quedas”, Ana
Amado “Práticas para a promoção de um
envelhecimento saudável – envelhecer, envelhecemos todos! Todos os dias…
”,
Bruno Ferreira “Impacto do Yoga do Riso
na Emocionalidade na Qualidade do Sono e Nível Cognitivo da Pessoa Idosa
Institucionalizada
”. À comunicação de Lia Almeida “A Prestação de Cuidados Informais: será que tem impacto na
conjugalidade?
” foi atribuído o prémio de Melhor Comunicação Oral Livre.
A encerrar o IV Encontro de Geriatria que,
ao longo do dia contou com momentos de animação a cargo do Quarteto de
Saxofones, composto por Paulo Almeida, Diana Matias, António Alves e Miguel
Maia, bem como pelos Coros Seniores do Centro de Bem Estar Social e Paroquial
da Freguesia de Figueira de Lorvão e do Centro Social e Paroquial de Lorvão,
subiu ao palco do Auditório da Biblioteca Municipal de Penacova, Polybio da
Serra e Silva, Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Medicina da
Universidade de Coimbra, que deu o seu testemunho de “como é (não) ser velho”, com a sua idade (91 anos). Dirigindo-se à
plateia lembrou que apesar de ter jubilado em 1998, desde então tem procurado
manter uma vida ativa entre palestras, 30 minutos de atividade física diária
(em bicicleta física ou natação), escrita e a dedicação que mantém à Fundação
Portuguesa de Cardiologia. Em jeito de brincadeira, revelou o segredo da sua
longevidade “não fumar, beber pouco e,
enquanto esta receita funcionar, não tenho dúvidas, mesmo que nada mais faça,
continuarei, pelo menos, a pedalar em bicicleta fixa e a escrever livros
”.
Agradecendo, a presença e participação de
todos, Sandra Ralha, encerrou o Encontro reforçando que “é muito gratificante verificar que o nosso papel enquanto cidadãos,
membros ativos e com responsabilidades sociais, é muito mais do que um
trabalho, na verdade, a essência da nossa missão é tentar compreender a
realidade do indivíduo, propor projetos para transformar essa realidade e combater
as dificuldades com que os nossos munícipes se debatem, nomeadamente, neste
segmento da população, infelizmente, mais vulnerável
”.