AMBIENTE – Município de Penacova realiza intervenção de regularização fluvial nos rios Alva e Mondego

0
1

No âmbito da transição
dos saldos de gerência do Fundo Ambiental e do protocolo celebrado entre este e
a APA, I.P., o município de Penacova financiado num montante de cerca de 140
mil euros, destinados à realização de intervenções urgentes e inadiáveis de regularização
fluvial.


Bastante afetado pelos
incêndios de 2017, o concelho de Penacova, com uma área afetada de 59,00 Km2 e
nefastas consequências para a população, infraestruturas e, nomeadamente, para
a Bacia do Rio Alva, elaborou em estreita colaboração com a APA – ARH do
Centro, um projeto em que foram identificadas as medidas de proteção dos
recursos hídricos a implementar e a identificação dos locais/áreas de
intervenção prioritária, de forma a garantir o escoamento das linhas de água,
minimizar a erosão e o arrastamento dos solos, assegurando, simultaneamente, o
uso genérico da linha de água, quer seja em termos de uso agrícola ou balnear.

Cardal, Lapa,
Vimieiro, Vale da Chã e Cornicovo, foram os açudes alvo de reabilitação, na
área geográfica do Concelho, tendo sofrido intervenções ao nível das condições
biofísicas de suporte, procedendo-se à reparação dos rombos e fissuras
existentes, incluindo juntas ou revestimentos no corpo dos açudes. Tendo como
premissa base a missão do Fundo Ambiental, cujo objetivo é apoiar políticas
ambientais para a prossecução dos objetivos do desenvolvimento sustentável, as
intervenções foram realizadas com o objetivo de efetuar correções torrenciais,
tendo como base a construção de pequenas obras de estabilização e correção das
mesmas através do preenchimento de espaços com pedra de menor dimensão e
cascalho, proveniente da regularização do leito do rio, materiais idênticos aos
já existentes nos locais, sendo igualmente utilizada estacaria de madeira para
travamento de forma organizada e bem compactada da bacia de dissipação.

A autarquia destaca,
como uma das intervenções de maior relevo, a limpeza marginal dos locais,
tendo-se efetuado a poda e desbaste de árvores ou arbustos das galerias
ripícolas marginais e a remoção de vegetação e lenhas existentes no leito e
margens. A limpeza da zona de banhos e da área envolvente e a reabilitação das
condições biofísicas de suporte que garantem o escoamento das linhas de água,
asseguram desta forma as melhores condições para quem usufrui destes locais
como espaços de lazer
.

Ambas as margens do
Mondego, na zona envolvente à Pista de Pesca de Penacova, sofreram igualmente,
intervenções de corte e remoção de material arbóreo e arbustivo, nomeadamente,
de espécies exóticas e invasoras como a acácia, de vegetação espontânea como os
silvados e de reposição/reabilitação da galeria ripícola através da plantação
ou sementeira de espécies autóctones.