CULTURA – Amadeu Carvalho Homem apresentou Ramalho Ortigão na Fundação INATEL

0
3



Decorreu este
sábado à tarde, no auditório da Fundação INATEL, em Coimbra, uma evocação a
Ramalho Ortigão, figura incontornável da cultura portuguesa, autor das
“Farpas”, professor e amigo de Eça de Queiroz. Amadeu Carvalho Homem,
historiador e professor catedrático aposentado da Faculdade de Letras da
Universidade de Coimbra, com uma extensa obra publicada, orientou a sua
alocução para “a compreensão da personagem, mais do que para o seu julgamento”,
dada a posição titubeante entre a monarquia constitucional, em que Ortigão não
acreditava, e a república. Todavia, as relações pessoais de amizade da
“Ramalhal figura” com o rei D. Carlos e a aceitação do cargo de bibliotecário
real trouxeram-lhe inimizades e cunharam-lhe epítetos de falsário. Carvalho
Homem justifica a opção de Ramalho Ortigão com a construção de uma vida movida
pelos afetos.

Nascido em
1836, José Duarte Ramalho Ortigão, viveu os sete primeiros anos da sua puerícia
na casa de lavoura da sua avó materna. Esta avó viúva administrava a quintazinha
de Germalde com o apoio de duas filhas solteiras e do criado Manuel Caetano. O
mesmo teto dava guarida à figura venerável de Frei José do Sacramento Lapa,
tio-avô e padrinho de José Duarte. E ainda a Manuel Caetano, militar veterano
das guerras peninsulares, que deslumbrava o pequeno José Duarte com as suas
narrativas bélicas, evocadoras dos tempos em que combatera no Buçaco os
franceses invasores. Todos contribuíram para que tivesse uma infância rural e
feliz.

O evento contou
com apontamentos musicais pelo Coro Misto da Universidade de Coimbra, bem como
com um momento final de autógrafos no livro “Ramalho Ortigão: Evolução do seu
pensamento político e social”, de Amadeu Carvalho Homem.

Como nota
final, Bruno Paixão, diretor da Fundação INATEL em Coimbra, referiu que
“tivemos o privilégio de assistir a mais uma brilhante alocução do professor
Amadeu Carvalho Homem, que nos prendeu a todos com o seu brilhantismo
intelectual, desta feita a um vulto da cultura portuguesa, que é Ramalho
Ortigão. A iniciativa é a primeira de uma série que a INATEL está a promover em
Coimbra, evocando figuras da literatura e da cultura portuguesa”.