NATAL – Banda Filarmónica de Penacova realiza concerto à espera de presentes no “sapatinho”

0
2

A renovação das instalações da Casa do Povo de Penacova vai
arrancar e a obra começa, precisamente, pela substituição das cadeiras. O
objectivo é garantir «algum conforto» a quem frequenta a colectividade, refeita
direcção, que vai juntar o útil ao agradável”, no concerto de Natal, a
realizar sábado, pelas 21h30, para proceder ao lançamento de uma campanha, no
sentido de reunir os fundos necessárias para adquirir novas cadeiras para o salão.
«Já pedimos orçamento
a duas ou três empresas
», conta Álvaro Coimbra, presidente da direcção da
Casa do Povo, explicando que o investimento «ronda os 5 mil euros». Dinheiro que a colectividade não possui e,
por isso mesmo, apela à colaboração é «a
generosidade
» de todos. Empresas e comunidade em geral.
«As cadeiras estão
velhinhas, têm 40 anos. São as cadeiras originais
», diz o presidente, fazendo
notar que muitas delas não têm recuperação possível, facto que levou a direcção
a entender que o melhor era mesmo avançarem com a substituição, de forma a
permitir dotar o salão polivalente da Casa do Povo com «mais algum conforto», uma vez que é ali que decorrem grande parte
das actividades, seja os espectáculos – para os quais as cadeiras, amovíveis,
são necessárias – seja as aulas de ioga ou de dança, entre ourtas.
Confiante na solidariedade da população, Álvaro Coimbra
reconhece que não será fácil reunir este dinheiro. «É uma verba elevada», diz, muito embora acredite que o empenho
demonstrado pela direcção e o esforço que «tem
feto para dinamizar a Casa do Povo de Penacova, que esteve alguns anos meio
adormecida, possa ter algum retorno
», através da mobilização da comunidade
para esta causa.
O presidente recorda, de resto, que ainda este ano a empresa
Caldas de Penacova foi um mecenas «extraordinário», suportando um «investimento muito grande» na aquisição
de uma nova farda para a Banda Filarmónica. Um indicador positivo desta
colaboração solidária, que a direcção a Casa do Povo gostaria de ver replicada,
agora, com o projecto de aquisição das cadeiras e, possivelmente, em outros
“voos” futuros.
Isto porque a renovação das cadeiras representa primeiro de
muitos outros passos que a direcção pretende dar. «Há outras obras a fazer», afirma Álvaro Coimbra, lembrando que o
edifício que data da década de 70, praticamente nunca sofreu «grandes obras». O estado da caixilharia
é um exemplo disso mesmo e constitui a próxima prioridade da direcção, «assim que seja financeiramente viável».
Aqui, a fasquia do investimento sobe abruptamente. «Será acima dos 20 mil euros» aponta o presidente, sublinhando a
necessidade de uma caixilharia em alumínio, com um perfil mais moderno e
actual. Todavia, «isso será numa outra
fase
», pois o primeiro passo passa mesmo pela renovação das cadeiras.
Um ano cheio de
actividades

O concerto de sábado representa o corolário de um ano «muito
profícuo» para a Casa do Povo. Em funções há dois anos, a nova direcção avançou
com um conjunto de projectos revitalizadores, onde se inclui a recuperação do
Grupo de Teatro e Variedades, que esteve ‘adormecido” mais de duas
décadas, a nova farda para a Banda Filarmónica, que marcou presença, pela
primeira vez, no desfile Nacional de Filarmónicas, em Lisboa. Avançou, ainda,
com o projecto “Letras para Vida“,
um programa de literacia para a população sénior, em parceria com a Escola
Superior de Educação de Coimbra e Câmara Municipal de Penacova, e abriu
actividades ligadas ao bem-estar, com aulas de ioga e danças latinas.
Manuela Ventura
Diário de Coimbra