NATAL – Luz da Paz de Belém partilhada em Coimbra para chegar a milhares de casas

0
4


Ser luz de Deus no mundo foi a mensagem que o Bispo de
Coimbra, D. Virgílio Antunes, transmitiu aos presentes na cerimónia de partilha
da Luz da Paz de Belém.

Na noite de 16 de dezembro, mais de 200 pessoas
juntaram-se na Sé Velha, em Coimbra, para receber a luz que fez mais de 6 mil
quilómetros até ali, com o objetivo de a levarem para partilhar com os seus
familiares, vizinhos, amigos, nas suas localidades por toda a Diocese,
colocando-se ao serviço até que todos os corações estejam acesos, numa luz que
ilumine toda a Terra.

Na presença de representantes de 34 agrupamentos de
escuteiros da Região de Coimbra, 3 núcleos de antigos escuteiros da
Fraternidade Nuno Álvares, da Cáritas Diocesana de Coimbra, do Comando
Distrital da PSP de Coimbra e dos Bombeiros Sapadores de Coimbra, o Bispo
lembrou que a “luz de Cristo não é
apenas a luz que se vê com os olhos do corpo
”, mas também através dos
“olhos do espírito”.

Face o papel presente que os jovens assumem na Igreja,
foi entregue a cada uma das secções do Corpo Nacional de Escutas uma missão:
aos Lobitos (6-10 anos), com a sua genuinidade e alegria, foi pedido que
entregassem a Luz à Caritas Diocesana de Coimbra; aos Exploradores (10-14
anos), corajosos e curiosos, ficou a missão de difundir a Luz aos Bombeiros
Sapadores de Coimbra, verdadeiros exemplos de coragem da humanidade; aos
Pioneiros (14-18 anos), fruto da sua capacidade de acolhimento, foi pedido que
partilhassem a Luz com a PSP de Coimbra, entidade com uma missão contínua de
segurança da cidade; e aos Caminheiros (18-22 anos), onde o agir passa a ser
palavra de ordem, coube a missão de transmitir a Luz ao Clube da Comunicação
Social, para que também possam ser ação na transmissão da palavra amor.

Com o objetivo de difundir a luz por milhares de casas em
todas as paróquias da Diocese, o Bispo de Coimbra desafiou cada um dos
presentes a acompanhá-la com o seu “testemunho
de fé, alegria e gosto de viver
”, para que este natal não seja apenas feito
de luzes exteriores.

D. Virgílio Antunes terminou a sua mensagem ao explicar
que esta partilha de algo “mais sério e
mais profundo que temos no coração
”, não é mais do que “a presença de Deus, por meio de Cristo, que
se figura na Luz da Paz de Belém
”.

Partilhada desde 1986, a Luz da Paz de Belém teve a sua
origem na Áustria numa iniciativa conjunta entre a televisão pública e os
escuteiros Austríacos, como parte de uma campanha de solidariedade para
crianças com dificuldades. Todos os anos, uma criança austríaca é escolhida
para recolher a Luz na Gruta da Natividade, em Belém, igreja marcada como local
de nascimento de Jesus, para que depois seja partilhada numa eucaristia.
Através da sua difusão pelos escuteiros e guias de inúmeros países, que ali se
deslocam todos os anos, permite-se, desta forma, que hoje a Luz seja partilhada
à escala mundial.