PROJETO SOCIAL – Fundação Mário da Cunha Brito promove ‘Noz’ em viagem

0
7


A atividade tomou o nome embrionário de ‘Projeto Nós – Dar
qualidade ao tempo
’. inscreve-se como uma proposta complementar da Fundação
Mário da Cunha Brito, de São Pedro de Alva, no quadro da dinâmica preparatória
do Programa Contrato Local de Desenvolvimento Social – 4ª geração, do qual se
espera aprovação breve do Instituto de Segurança Social, para mais estando
ultrapassados todos os prazos que a tutela determinara para o efeito. Por
agora, Luís Francisco Marques, o coordenador nomeado para o projeto assume o
acompanhamento, na esperança de que rapidamente possam existir condições para,
no quadro de uma equipa plural, a proposta poder ser enriquecida.

Por agora, esta dinâmica irá contemplar um conjunto de
percursos culturais e de experiências, na região Centro, aguardando-se
entretanto a colaboração parceira do Turismo do Centro, como entidade
consultora.


No dia 18 de dezembro partimos para Penela, com um primeiro
grupo de 30 pessoas maiores de 65 anos, oriundas da União de Freguesias de São Pedro de Alva e S. Paio do Mondego, com a adesão de um habitante de Paradela da
Cortiça. Visitámos o Presépio, ícone turístico habitual nesta quadra, almoçámos
num restaurante do centro histórico da vila, tendo visitado de tarde o presépio
tradicional do Espinhal e o espaço museológico da Villa Romana do Rabaçal, com
oportunidade para adquirir o famoso queijo.



No começo do passeio, cada participante recebeu uma noz
como símbolo. O desafio é que esse fruto acompanhe cada pessoa, sempre que participe
em alguma das atividades que irão sendo propostas, colocando uma ‘marca’ na noz
por cada participação. ‘Nós [Noz]’, porque a sociedade que somos precisa de
superar a preponderância absoluta do ‘Eu’ fechado sobre si, como se de alguém
‘auto suficiente’ se tratasse. ‘Nós’ [Noz], porque mais do que estruturas
físicas, somos desafiados a construir uma comunidade de laços humanos sólidos
de fraternidade e cuidado recíproco. ‘Nós’ [Noz], porque a teia entretanto
tecida servirá, não apenas para minorar os problemas decorrentes do avanço da
idade, mas, sobretudo, para valorizar as qualidades, as riquezas e o potencial
que persistem nas pessoas mais velhas. As horas, os dias, as semanas, os meses,
os anos manterão a sua dimensão, que será igual para todos. A diferença estará
no modo como formos capazes de viver e preencher o nosso tempo. É qualidade
aquilo que o projeto ‘Nós’ quer imprimir ao tempo.

A avaliação espontânea deste momento mereceu um sinal
francamente positivo, destacando-se o bom ambiente, para o qual muito contribui
a empresa Márcio Lopes, de Gavinhos [Penacova] , que nos irá conduzir neste
percurso.

Ficou marcada a próxima viagem para dia 22 de janeiro, ao
museu POROS [Condeixa-a-Nova], com visita ao Aeródromo Municipal de Coimbra
Bissaya Barreto e ao Museu do Brinquedo Popular [Loureiro-Cernache]. As
informações e inscrições podem ser feitas na secretaria da Fundação Mário da
Cunha Br
ito [239 450 140] e são abertas à comunidade em geral, com
mais de 65 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui