DIGRESSÃO – Casa do Povo de Penacova leva teatro de revista às aldeias do concelho

0
7

O Grupo de Teatro e Variedades (GTV) da Casa do Povo de
Penacova começa domingo um projecto de itinerância cultural, com uma viagem que
contempla várias aldeias do concelho.0 programa arranca no Silveirinho, no
salão da associação local, com a apresentação do espectáculo de teatro de
revista “Recordar é Viver!“.
Segue-se Carvalho, no dia 2 de Fevereiro, Carregal de Friúmes a 16 de Fevereiro
Roxo, a 8 de Março, para terminar em Figueira de Lorvão, no dia 15 de Março. As
apresentações são sempre ao domingo à tarde.
Manuela Ventura – Diário de Coimbra
«O nosso principal
objectivo é que as populações das aldeias, sobretudo do interior do concelho,
tenham acesso a um espectáculo de teatro
», afirma Álvaro Coimbra, presidente
da direcção da Casa do Povo de Penacova. As condições, admite, «podem não ser as ideais para um espectáculo
de teatro
», uma vez que a apresentação vai ser efectuada no espaço
possível, ou seja, no salão das associações de cada uma das localidades. Mas o
objectivo é permitir que muitos dos munícipes que residem fora da sede do concelho,
«onde o teatro raramente chega»
tenham a possibilidade de assistir a esta oferta cultural.
«Enquanto instituição
virada para a cultura e seguindo as nossas tradições, devemos, também,
preocupar-nos com as pessoas do concelho, sobretudo com as mais idosas, que não
têm possibilidade de se deslocara Penacova
», refere o presidente da Casa do
Povo, confiante na adesão do público a esta proposta de uma tarde de boa
disposição, que permite reviver, através das músicas e dos “sketch” muitas das
tradições concelhias.
Estreada em Março do ano passada a revista “Recordar é Viver” esgotou as três
sessões efectuadas em Penacova. Trata-se de um espectáculo que reúne textos e
canções da autoria do mestre Alípio Borges, músico, compositor, maestro e
guionista, que nas décadas de 70 e 80 do século passado dinamizou o Grupo de
Teatro e Variedades da Casa do Povo de Penacova.
Depois de mais de duas décadas de interregno, a actual direcção
da Casado Povo – que cumpre o segundo ano do mandato – assumiu, como um dos
seus desígnios prioritários, recuperar este património único, trazendo de novo
à cena o Grupo de Teatro e o seu grande inspirador «Somos depositários da herança deixada pelo mestre Alípio Borges, um
património que não podemos deixar cair no esquecimento
», afirma Álvaro Coimba,
apontando as muitos espectáculos que «nos
deixou
», muitos dos quais foram representados na época como inquestionável
sucesso.
Recordar é
Viver!
” é o primeiro de muitos espectáculos com a assinatura do mestre
Alípio Borges que o reactivado e renovado Grupo de Teatro e Variedades se
empenhou em levar de novo à cena. Outros se seguirão. Os preparativos para a
próxima produção já começaram, adianta Álvaro Coimbra, embora ainda não esteja
definida a data prevista para a estreia.
Preservar herança de
Alípio Borges

Recordar e
Viver!
” e uma encenação de José Martins, produção de Rui Martins, textos e
canções de Alípio Borges, com arranjas e direcção musical de Joel Rodrigues. A
orquestra é constituída por músicos da Banda Filarmónica da Casa do Povo de
Penacova.
Além desta digressão concelhia, o Grupo de Teatro e
Variedades vai levar esta peça de teatro de revista a Lourosa concelho de Santa
Maria da Feira, no próximo dia 22 de Fevereiro, a convite do Grupo Cénico local.