CENTRO DE PORTUGAL – Algumas recomendações para quem visita

0
10

A primavera está quase a chegar, e com ela vem a Páscoa, um
feriado prolongado e muito bem aproveitado por países com uma forte herança
cultural católica como Portugal, Espanha e Itália. Caso consiga tirar uns dias
de folga do trabalho, aproveite para visitar a região centro de Portugal, que
alia vários monumentos históricos a lindas paisagens (para além da gastronomia
imperdível)! O centro de Portugal tem tudo o que procura, quer seja para um
feriado prolongado ou uma escapadela de fim de semana. Deixe os hotéis para
trás e alugue o seu cantinho durante alguns dias para
experimentar o que a vida local tem para lhe oferecer
. Desligue o
seu telemóvel, pegue um livro e faça-se à estrada, quer seja para caminhadas ou
visitar vilas mais remotas. Este artigo contém algumas sugestões de locais e
recomendações de coisas a fazer nas suas pequenas férias.

Arquipélago de Berlengas
O apelo deste local é óbvio durante o verão, pelas suas
águas calmas e cristalinas. No entanto, a atração não se fica por aí. Este
local turístico que se situa perto de Peniche consiste num conjunto de pequenas
ilhas desabitadas e de fácil acesso de barco ou a pé, sendo o local perfeito
para fotografias para o Instagram. Visite o antigo forte construído sobre as
ruínas de um mosteiro e explore as várias grutas nas proximidades num passeio
de barco.
Convento de Cristo
Originalmente, era uma fortaleza dos Cavaleiros Templários,
o que ainda é visível pelas fortes muralhas que ainda hoje permanecem, assim
como pelos rústicos jardins. Posteriormente, tornou-se um mosteiro, sendo
atualmente reconhecido como Património Histórico Mundial pela UNESCO. Uma
visita a este local vale não apenas pela sua herança histórica, mas porque
contém cerca de cinco séculos de arte Portuguesa e bastantes exemplos de
arquitetura.
Mata Nacional do Buçaco
Criada no século XVII pelas Carmelitas, essa área florestal
de 400 hectares se encontra dentro da Serra do Buçaco, logo ao norte de
Coimbra. O século XVII foi muito importante para Portugal no sentido de
explorações e colonizações portuguesas, e na busca por entender a apreciar o
que a natureza do Novo Mundo da época tinha a oferecer, as Carmelitas resolveram plantar diversos tipos de árvores importadas
desse Novo Mundo.
O local contém mais de 250 espécies de árvores exóticas oriundas de lugares como México e Brasil e 400 espécies nativas da faixa atlântica portuguesa, constituindo uma bela coletânea de floras diferentes. Assim, um passeio por esta mata será uma experiência muito diferente dos arredores, que apresentam a normal vegetação europeia. Hoje em dia, o Convento já não se encontra presente, mas é possível encontrar pequenos monumentos históricos espalhados pela mata, para além de vários pontos com vistas panorâmicas do centro de Portugal.

Aldeias do Xisto
Como o próprio nome diz, as aldeias de xisto constituem 27
pequenos aglomerados de casas construídas com pedras de xisto. Estas aldeias
encontram-se espalhadas pelas Serras da Lousã e do Açor e estendem-se até perto
da Serra da Estrela. Estas aldeias estão, na maioria, escondidas e não costumam
fazer parte do itinerário óbvio de quem visita Portugal pela primeira vez. Vale
a pena a visita pelos seus belos castelos, museus, e principalmente pela
natureza que as rodeia, repleta de praias fluviais e florestas (para percorrer
a pé pelos “Caminho de Xisto” ou até de bicicleta).
Serra da Estrela
A Serra da Estrela é mais procurada no inverno, quando a
neve toma conta e faz com que todo o local pareça saído de um conto de fadas,
sendo o ponto mais alto de Portugal continental. Não deixe de a visitar, quer
seja para experimentar o famoso queijo da Serra da Estrela, como para esquiar
no inverno ou apreciar as belas tonalidades de verde e formações rochosas que
se revelam durante o verão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui