PARLAMENTO – Pedro Coimbra pede imunidade após ter sido acusado de insultar árbitro de prova de pesca

0
9

Pedro Coimbra começou por negar as acusações, garantindo que
era uma manobra política. Mais tarde, admitiu “altercação” e pediu
imunidade, que poderá ser levantada na próxima semana.
O deputado do PS e Presidente da Assembleia Municipal de
Penacova, Pedro Coimbra, pediu ao Parlamento que mantivesse a imunidade após
ter sido acusado de insultar um árbitro durante uma prova do Campeonato do
Mundo de Nações de Pesca Desportiva, em 9 de setembro de 2019, no centro
náutico de Montemor-o-Velho, avançou o Público esta quarta-feira. O árbitro colocou-o em
tribunal pelo crime de injúrias por se ter sentido ofendido. O pedido de
levantamento da imunidade à Assembleia da República já foi feito e poderá
acontecer na próxima semana.
Inicialmente questionado pela Comissão da Transparência,
Pedro Coimbra respondeu por escrito que não tinha estado no local da prova no
dia e na hora dos insultos de que era acusado e que esta era uma manobra, que
garantiu ser falsa, para denegrir a sua imagem, lembrando que 2019 foi ano de
eleições.
Dias depois, foi chamado pela Comissão da Transparência para
responder a dúvidas que teriam surgido. O deputado voltou a insistir que a
acusação não correspondia à verdade e estava relacionada com questões políticas,
mas admitiu ter estado no evento e voltou a pedir que a imunidade fosse
mantida.
Fui aconselhado a não aceitar o levantamento da imunidade”,
disse Pedro Correia em declarações ao jornal Público, acrescentando que, “se
vier a ser levantada, ainda bem, porque servirá para esclarecer os factos”,
descrevendo o caso como uma “altercação”.
O caso foi discutido esta quarta-feira, com o PSD a emitir
um parecer que propunha o levantamento da imunidade a Pedro Coimbra, que foi
chumbado, considerando que as acusações não se enquadravam no exercício da
função de deputado. O pedido poderá voltar a estar em cima da mesa na reunião
da próxima semana e, segundo o Público, tudo indica que o deputado terá de ir a
tribunal.