ILUSTRES [DES]CONHECIDOS – Homero António Daniel José Pimentel (1914-1987)

0
6

Homero António
Daniel José Pimentel, filho de José Augusto Pimentel, sapateiro, e de Amélia
Martins, doméstica, nasceu em Penacova em 19 de Maio de 1914. Neto paterno
de Daniel de Andrade Pimentel e Felicidade da Glória e materno de António
Martins e Leonor de Jesus.

Em 1932 ingressou
no Seminário de Évora. Passados 3 anos veio para o Seminário de Coimbra, onde
esteve até 1937, ano em que abandonou os estudos eclesiásticos e passou a
frequentar o Ensino Universitário.

Concluiu a sua
formatura em Letras (Filologia Clássica) em 1942. Leccionou em Vila do Conde,
Tomar, Torres Novas e Pombal.

No ano de 1948
fundou em Arganil o Externato Nossa Senhora do Montalto em sociedade com um
colega mas acabando por sozinho assumir a direcção, agora com o nome de Externato
Alves Mendes (em homenagem a Alves Mendes, figura eminente da cultura nacional,
penacovense e familiar da sua mulher Beatriz Pimentel), com a valência de
internato, onde acorreram alunos vindos dos mais diversos pontos do país,
atraídos pela fama que o colégio angariara entretanto.

Em 1958/59 é
inaugurado um novo edifício “o colégio novo”, onde em 1970 passaria a funcionar
o Ciclo Preparatório da responsabilidade do Estado.

Também em Penacova
a ele se devem o Externato Nossa Senhora da Esperança e posteriormente o
Externato Príncipe das Beiras.

Foi agraciado pela
Câmara Municipal de Arganil, em 1983, enquanto “pioneiro do ensino secundário”
naquela vila e Região”. Em Arganil foi erigido um busto em sua homenagem e o
seu nome faz parte da toponímia.

Em 2008, por
iniciativa da Junta de Freguesia de Penacova a artéria até aí designada por Rua
das Escolas passou a ter o nome deste  professor e pedagogo
responsável pela direcção do Externato Príncipe das Beiras, que deu origem ao
que é hoje o Agrupamento de Escolas de Penacova.

Em 14 de Maio de 2016 foi inaugurado o Busto de Homero
Pimentel na Pérgola Raul Lino (próximo da antiga Pensão Viseu) da autoria de
Albano Martins, em reconhecimento pelas qualidades de pedagogo e humanista e
pelo papel de extrema relevância que teve na educação de muitas gerações de
jovens de Penacova, Vila Nova de Poiares, Arganil e Tábua.

Num tempo em que Portugal possuía sérias deficiências no que
respeita à formação escolar, à cultura e às condições de vida das populações,
Homero Pimentel, “assumiu um papel determinante, dando asas a muitos alunos
desses concelhos e permitindo-lhes, através do acesso à formação escolar e à
cultura, voar mais alto, alcançando objectivos que de outra forma teriam sido
talvez impossíveis.”


Faleceu no dia 10 de Fevereiro de 1987. Jaz no cemitério da
Eirinha em jazigo de família.