PREVENÇÃO – Aulas nas Universidades de Lisboa e Coimbra só à distância

0
0


A medida insere-se num conjunto de medidas preventivas
anunciadas pelas universidades no âmbito dos planos de contingência no
combate ao surto de Covid-19.

Em comunicado, cada uma das duas universidades detalha ainda
todas as atividades suspensas nas instituições da sua esfera de ação,
que incluem museus e jardins botânicos, por exemplo.

A Universidade de Lisboa comunicou que “as escolas
suspendem as atividades letivas presenciais, procedendo à sua
substituição, sempre que possível, por outros meios de ensino, permitindo o
acompanhamento das atividades escolares agora suspensas, através de
instrumentos de ensino à distância
“.

É ainda suspenso o funcionamento de bibliotecas, salas
de estudo e dos refeitórios de alunos dos Serviços de Ação Social.
As atividades físicas e desportivas, realizadas nas instalações do
Estádio Universitário e das escolas, são suspensas, nomeadamente as que
decorram em recintos fechados, ou mantidas com restrições
, acrescenta a
Universidade de Lisboa.


Quanto aos estudantes em residências que não necessitem de
frequentar aulas são aconselhados a regressar a casa, “às suas residências
habituais
“, mantendo-se nas residências “apenas o funcionamento
indispensável para assegurar o apoio a casos excecionais
“.

As atividades de grupo desenvolvidas nos
museus da Universidade de Lisboa, e nos seus jardins botânicos são suspensas,
mantendo-se a abertura ao público no caso de visitantes individuais
“,
adianta a instituição.

Em termos de trabalho, a Universidade de Lisboa refere que
será incentivado o teletrabalho e canceladas as deslocações em
serviço, e que casos suspeitos, incluindo os regressados de zonas de risco
devem ficar em auto-isolamento.

Estas medidas, que se aplicam nas próximas duas
semanas, serão ajustadas conforme a necessidade e a evolução da situação
“,
adianta a Universidade de Lisboa.

A Universidade de Coimbra, que anunciou a aplicação do seu
plano de contingência “com efeitos imediatos por um período de pelo
menos 15 dias
“, decidiu também suspender aulas presenciais, “substituindo-se
por métodos digitais para promoção de um ensino à distância a serem
desenvolvidos nos próximos dias
“.

Serão igualmente suspensos e adiados todos os eventos
científicos, culturais e desportivos, assim como as atividades em
bibliotecas e salas de estudo, o circuito turístico, a visita a museus e a
utilização das infraestruturas culturais e desportivas —
designadamente o Estádio Universitário de Coimbra e o Teatro Académico de Gil
Vicente. Devem ser também suspensas e adiadas todas as deslocações
profissionais ou académicas no país e no estrangeiro
, adianta em
comunicado.


A Universidade de Coimbra anunciou ainda que vão ser criados
espaços de isolamento próprios” em diversos polos da
universidade.

Nas cantinas será adotado o modelo de ‘take-away’,
evitando a abertura de espaços comuns“.
Ao nível dos serviços, a Universidade de Coimbra está a
tomar medidas de desmaterialização e digitalização para “diminuir e
evitar contactos pessoais
“, identificando “os grupos mais
vulneráveis para implementação do regime de teletrabalho
“.

A Universidade de Coimbra reafirma a sua intenção
de garantir a ausência de prejuízo no percurso escolar, académico e
profissional às pessoas afetadas por estas medidas, tendo particular
atenção relativamente aos estudantes mais carenciados
“, conclui o
comunicado.
Em Portugal há 39 pessoas com Covid-19, a maioria na
região Norte. No Algarve foi confirmado pelo menos um caso, em Portimão.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro,
na China, e já provocou quase mortos.
Mais de 110 mil pessoas foram infetadas em mais de
uma centena de países, mas mais de 62 mil já recuperaram.