DIA MUNDIAL DO SONO – Dormir protege o sistema imunitário

0
7

No Dia Mundial do Sono, que assinala esta sexta-feira, 13 de
março, a Associação Nuvem Vitória apresentou os resultados de um inquérito
lançado na plataforma Quero Dormir. O questionário, criado para determinar o nível
de sonolência da população e onde participaram mais de 2 mil pessoas, avaliou a
probabilidade de uma pessoa adormecer em diferentes momentos do dia: sentada a
ler, a ver televisão ou como passageiro de um transporte, por exemplo.
Os resultados mostram que os níveis de sonolência diurna
estão no limite do saudável.
Nesta análise, percebemos ainda que a elevada sonolência
diurna, embora comum às diferentes faixas etárias, aparece com maior frequência
em grupos etários mais jovens (55,8%)
”, revela a psicóloga do sono e voluntária
da Nuvem Vitória, Teresa Rebelo Pinto.

E acrescenta: “temos níveis de sonolência muito elevados e há algumas pessoas
que dizem que dormem bem porque adormecem em qualquer sítio. Mas isso não é
dormir bem, é sinal de má qualidade do sono ou de uma perturbação do sono
”.
Além disso, e no contexto da pandemia atual, a Associação
alerta para a importância de se dormir as horas recomendadas por noite. Isto
porque uma boa higiene do sono ajuda a que o sistema imunitário se mantenha
forte, ajudando na proteção contra problemas de saúde. 
A Associação Nuvem Vitória trabalha para melhorar o sono das
crianças internadas nas pediatrias nacionais, levando, todas as noites,
histórias de embalar que ajudam a acalmar e a preparar a hora do sono. “No
contexto atual, decidimos suspender a nível nacional todas as atividades de
voluntariado, por respeito às crianças, cuidadores e pessoal hospitalar e para
proteção do nosso trabalho futuro. Mas vamos continuar a levar histórias de
embalar a todo o país: todas as noites podem ver e ouvir uma destas histórias nas
redes sociais da Nuvem Vitória, sempre lida pelos voluntários que têm,
naturalmente, formação para contadores de histórias
”, explica a Presidente da
Associação Nuvem Vitória, Fernanda Freitas.