COVID 19 – Parque de Campismo de Penacova encerrado até dia 3 de abril

0
0



Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, Clube de Campismo de Lisboa e a Fundação Inatel fecham parques até 3 de abril.

Dezoito parques de campismo vão ser encerrados até 3 de
abril, anunciaram as três entidades que gerem estas infraestruturas, numa
decisão tomada devido ao estado de emergência na sequência da pandemia de
Covid-19.

A Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal (FCMP)
decidiu hoje o “
encerramento imediato” de sete parques de campismo com gestão
direta. 
Os Parques de Campismo de Mondim de Basto, Penacova, Côja, Foz do
Mondego, Castelo do Bode, Escaroupim e Parque de Campismo Lagoa de Santo André vão estar encerrados até 3 de abril.

Já o Clube de Campismo de Lisboa, numa nota publicada na sua
página oficial, decidiu suspender a possibilidade de permanência dos
sócios/utentes em todos os parques de campismo do clube, nomeadamente:
Almornos, Costa da Caparica, Costa Nova, Ferragudo, Melides, Gameiro, Campo
Maior e Avis.

A suspensão, refere a nota, “produz efeitos a partir das
00:00 do dia 21 março 2020 e cessará quando estiverem criadas as condições
normais de funcionamento das referidas atividades, como tais reconhecidas pelas
autoridades públicas competentes
”.

Vão continuar em
funcionamento os serviços administrativos, de manutenção e de vigilância,
existentes nos parques, na medida do indispensável.

Desta forma, será facultado “apenas a um utente por cada
unidade de alojamento campista o seu ingresso e permanência nos respetivos
parques pelo período máximo de meia hora, mediante agendamento prévio, através
dos meios de contacto do seu parque
”.

Também a Fundação Inatel decidiu hoje encerrar os três
parques que gere diretamente e que se localizam no Cabedelo, a dois quilómetros
de Viana do Castelo, em S. Pedro de Moel, junto ao pinhal de Leiria e na Costa
da Caparica.

De acordo com as informações transmitidas, no Parque de
Campismo do Cabedelo “já não se encontram campistas, enquanto no da Caparica
estão acampadas “cerca de 80 pessoas e 15 crianças
”.

Questionado pela Lusa, a Orbitur, que gere 23 parques de
campismo de norte a sul do país, referiu que “continuam de portas abertas e
todos os dias nos estabelecimentos Orbitur se cumprem rigorosos e reforçados
procedimentos de higienização e desinfeção de superfícies e são adotadas as
instruções da Direção-Geral da Saúde e demais autoridades para a proteção das
pessoas
”.

 A Orbitur procedeu “a
alguns ajustamentos, desde o encerramento ou redução temporária de horários de
alguns serviços e do número de colaboradores no terren
o”, por forma a “manter o
pessoal estritamente necessário, promovendo sempre que possível o
teletrabalho
”.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) elevou hoje o
número de casos confirmados de infeção para 1020, mais 235 do que na
quinta-feira. O número de mortos no país subiu para seis.