PÁSCOA – Mensagem do Presidente da Câmara Municipal de Penacova

0
0

Meus amigos,

Chegámos ao
sábado de Páscoa. Aquele que eu me habituei, desde criança, a chamar de Sábado
da Aleluia e que se anunciava pelas 10 horas com o sino da Capela de Nossa
Senhora da Moita em Gondelim. Ontem, Sexta Feira Santa não houve procissão, na
próxima semana não haverá Visita Pascal nem Nossa Senhora da Moita. É um tempo
estranho este. Mas temos que o conseguir ultrapassar, vencer e seguir em
frente. E para isso temos, todos, de fazer o que nos compete. Em primeiro plano
ao nível individual. Cumprindo com as regras que as autoridades nos vão
aconselhando e/ou obrigando. As regras de confinamento. As regras de
distanciamento social. As regras de higiene. Esse é o primeiro passo para que
tudo corra bem. Em segundo lugar o trabalho institucional que as entidades, e
no nosso caso em concreto, o Município de Penacova tem de desenvolver.

E esse trabalho
é em larga medida a coordenação política que o momento exige. São diversas as
plataformas onde participo para coordenar esse trabalho. Para além daquelas que
não participo pessoalmente, mas em que os restantes membros da Comissão
Municipal de Proteção Civil participam e organizam as diversas atividades. O
Serviço Municipal de Proteção Civil, representado pelo Vasco Morais, o
Comandante dos Bombeiros Voluntários de Penacova, António Simões, o Comandante
do Posto da GNR, Paulo Ferreira, o Coordenador do Centro de Saúde, Francisco
Araújo e a Delegada de Saúde de Penacova, Sara Silva todos nós estamos
diariamente envolvidos num conjunto de atividades que visa reduzir ao mínimo o
risco que existe, porque ele existe com grande probabilidade, de termos em
Penacova uma realidade que infelizmente já atinge outros territórios a poucas
centenas de quilómetros de nós.

No âmbito da
Comissão Municipal da Proteção Civil, para além coordenação com as diversas
entidades como as IPSS’s, as Juntas de Freguesia, a Comunidade Intermunicipal
da Região de Coimbra, ou ainda, com articulação dos diversos serviços do
Município temos todos feito o melhor para reduzir e mitigar riscos. As primeiras
medidas a serem tomadas, no dia 16 de março, foram de organização interna,
nomeadamente o encerramento do atendimento ao público presencial e com a
colocação de vários colaboradores em regime de teletrabalho, não deixando de
prestar os serviços essenciais, como o abastecimento e tratamento de águas
residuais, a recolha de resíduos sólidos urbanos, a proteção civil e a ação
social. E desenvolvemos todas as medidas que permitem que os cidadãos pudessem
continuar a contar com todos os serviços públicos, mesmo que não
presencialmente.

E depois
começámos a organizar-nos para dar resposta nas diversas áreas: o apoio social
e psicológica às populações, a aquisição e distribuição de EPI’s e outros
equipamentos pelas diversas entidades envolvidas, a organização do Centro
Logístico, o serviço de apoio ao domicílio para a entrega de bens alimentares e
medicamentos a todos os grupos de risco, a identificação de locais para
eventuais evacuações de IPSS’s e a aquisição dos equipamentos necessários a
essa eventual evacuação, a desinfestação dos locais públicos em articulação com
as Juntas de Freguesia, a organização nomeadamente através de voluntariado de
segundas linhas de recursos humanos para apoio em caso de alguma IPSS deixar de
ter condições de laboração, a função, nem sempre compreendida, da GNR para
fazer cumprir com as normas que vão sendo emitidas pelas entidades competentes,
as novas regras de funcionamento dos funerais, a sensibilização de toda a
população (destaco nesta matéria o trabalho desenvolvido pelas Juntas de
Freguesia), as medidas de apoio às famílias, empresas e outras entidades que
será preciso desenhar, as dificuldades em obter alguns equipamentos e materiais
ou a necessidade de termos alguma autonomia em termos de testes dirigidos a
alguns grupos de risco, são apenas alguns dos assuntos que nessas reuniões
coordenamos, desenvolvemos e implementamos. E posso assegurar-vos que em todas
já temos resultados visíveis.

No entanto hoje
continuo a destacar o papel fundamental das IPSS e outras infraestruturas de
apoio social que temos no concelho de Penacova. Como todos sabemos, trabalham
com um dos grupos de maior risco desta pandemia e para mitigar os riscos temos
vindo a estabelecer planos de contingência e de atuação em caso de infeção de
algum utente ou colaborador destas instituições, bem como planos alternativos
de recursos humanos, seja através do voluntariado ou da cedência destes
recursos pelo município. Temos igualmente analisado os diversos tipos de apoio
que possam vir a ser prestados por nós, enquanto autarquia, e os
constrangimentos inerentes à obtenção de EPI’s estando a ceder os mesmos à
medida que vamos conseguindo adquirir e dão entrada no nosso Centro Logístico.
Ressalvo ainda que existe um plano de evacuação previsto para os lares em caso
de urgência que assegura todas as condições de segurança, de acordo com as
normas da DGS, quer para quem transporta, quer para os cidadãos que tiverem que
ser transportados. É nas IPSS’s que está o maior risco pelo que é, para já,
onde temos de fazer os maiores esforços.

Tenho ainda de
referir todo o trabalho de comunicação e informação que está a ser coordenado
pelo Vice-Presidente João Azadinho na comunicação e informação seja através do
website institucional e da rede social Facebook do Município, como através do
desenvolvimento de panfletos, outdoors, mais uma vez com a preciosa colaboração
das Juntas de Freguesia, ou mesmo através de comunicações sonoras, desta vez
com a preciosa colaboração dos Bombeiros Voluntários de Penacova e da GNR.

Palavras de agradecimento
tenho para todos os que refiro nesta comunicação, mas também para todos os
colaboradores do Município que têm sido solidários nesta nova forma de
trabalhar. Não os posso enumerar todos, portanto fá-lo-ei em todos os
Vereadores. Aqueles que não tem tempo atribuído nem pelouros pela solidariedade
e pelas propostas, aos restantes pelo trabalho desenvolvido. O João Azadinho já
o referi, mas também o Ricardo Simões na coordenação dos recursos humanos que
continuam a assegurar o funcionamento dos serviços municipais e a Sandra Ralha
sobre a qual recaí grande parte deste trabalho seja no apoio social que este
momento de fragilidade sempre pressupõe como na coordenação do trabalho com as
IPSS´s. E permitam-me ainda uma palavra adicional ao Vasco Morais por toda a
coordenação desta operação que esperamos que passe rápido e passe o melhor
possível. Todos os que trabalham com cada um de nós tenha a consciência que
todos somos fundamentais.

Vamos passar
por isto e ficar mais fortes!

A melhor Páscoa
possível para cada um de vós!

Humberto
Oliveira
,
Presidente da
Câmara Municipal de Penacova