COVID 19 – Universidade de Coimbra está a produzir cerca de duas mil viseiras por dia

0
7

De duas viseiras por hora, feitas através de impressora 3D,
estão agora a ser produzidas cerca de duas mil por dia, através do método de
injeção em molde. Uma forma mais rápida e fácil e que, ao mesmo tempo,
possibilita “responder ao problema de carência, ou seja, ao crescimento do
número de pedidos”, explica do docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da
Universidade de Coimbra (FCTUC), Norberto Pires, que lidera o projeto. Foi
precisamente por causa do crescimento das solicitações que foi necessário proceder
a algumas alterações, tanto no material como na produção das viseiras,
continua o responsável.
Pensada para ter alguns aspetos inovadores como o conforto,
amortecimento, para melhor movimento corporal, e um efeito chaminé que
permitisse que o ar circulasse e não embaciasse, a viseira produzida hoje é
“muito mais confortável e bastante mais fácil de montar”, destaca Norberto
Pires.
As viseiras, sido produzidas em comunidade: o modelo,
desenvolvido por Norberto Pires, é produzido com o apoio da empresa de um
antigo estudante, e a linha de montagem manual conta com a participação de
estudantes e funcionários.
Para saber mais sobre o modelo e a produção de viseiras na
Universidade de Coimbra, veja as reportagens: aqui e aqui