ILUSTRES [DES]CONHECIDOS – Américo de Abreu Duarte (1922-1999)

0
16


Nasceu em Vale da Serra, freguesia de S. Pedro de Alva, em
1922.

Frequentou o Seminário de Coimbra, onde foi colega do
futuro Arcebispo Eurico Dias Nogueira.

Ainda antes da Ordenação, foi Prefeito e Professor no
Seminário da Figueira da Foz. 
Foi ordenado sacerdote no dia 26 de Junho de 1945, tendo
celebrado a Missa Nova em S. Pedro de Alva, no dia 1 do mês seguinte.

A 15 de Julho de 1945 tomou posse das paróquias de
Marmeleira e Cercosa, do concelho de Mortágua, e posteriormente foi também
pároco de Carvalho, do concelho de Penacova.

Foi coadjutor do Padre Américo Brás da Costa, em Arganil. Neste
concelho, assumiu a paroquialidade de Folques e Secarias. Seguiu-se Cepos,
Teixeira, Sarzedo, Carapinha e Covelo. Conta-se que, a brincar, costumava dizer
que era como o Lobisomem, pois tinha 7 freguesias! 
Nestas paróquias da Beira Serra teve o apoio familiar de
sua mãe, Maria de Jesus Dinis de Abreu, que faleceu em 1986.

No 50º Aniversário de Sacerdócio (1995) foi alvo de
diversas homenagens: Arganil, Paião, Marmeleira e S. Pedro de Alva.

Pessoa de  carácter simples
e modesto e rico em generosidade e elevada capacidade de sacrifício, granjeava o
respeito e o reconhecimento em qualquer local por onde passasse.

Qualidades salientadas pelo Bispo de Coimbra, D. João
Alves, e traduzidas em três palavras: humildade, simplicidade e
disponibilidade.

“Não”, era uma palavra que não existia no seu vocabulário
de sacerdote, quando se tratava de assumir novas responsabilidades, escreveu D.
Eurico Dias Nogueira na “Comarca de Arganil”.

Faleceu no dia 1 de Janeiro de 1999 nos Hospitais da
Universidade de Coimbra, vitimado por uma pneumonia. 

À data da morte ainda era Pároco de Folques (onde residia), Secarias, Sarzedo, Carapinha e Covelo.

Foi sepultado no cemitério
da freguesia natal. 
A missa de corpo presente foi presidida por D. João Alves,
Bispo de Coimbra, e concelebrada pelo Bispo Coadjutor, D. Albino Cleto.  Muitas dezenas de sacerdotes e seminaristas aqui se deslocaram também para prestar a sua sentida homenagem.
Incorporaram-se no funeral as Filarmónicas de S. Pedro de
Alva e de Arganil, as duas Irmandades de S. Pedro de Alva e representantes de muitas
outras pertencentes às Paróquias por onde passou ao longo do seu múnus pastoral.

Ø  David
Gonçalves de Almeida, 30 de Maio de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui