CIÊNCIA VIDA – O céu de junho de 2020

0
4

Em junho começa o verão e vamos poder observar os 5 planetas
visíveis a olho nu.

Dia 5 é dia de lua cheia. Já no dia 8, a lua, num minguante
quase cheio, vai estar a 8 graus do planeta Júpiter. No dia seguinte o nosso
satélite, que anda cerca de “um palmo” por dia no céu, vai estar a 6 graus de
Júpiter e a 3 graus de Saturno, com três astros a formarem um triângulo no céu.


No início do mês, Júpiter nasce por volta da meia-noite, mas
com o passar dos dias vai nascer cada vez mais cedo e vai ficando cada vez mais
alto. No dia 30 já nasce por volta das 22:00. Em relação a Saturno, este nasce
apenas meia hora mais tarde, pois os dois planetas estão a pouco mais de 4
graus de distância um do outro, no início de junho. Júpiter vai-se afastando um
bocadinho ao longo do mês e no dia 30 os dois planetas estarão separados por 6
graus.
O céu virado a Sul no dia 9 de junho às 04h45

No dia 13, a Lua atinge o quarto minguante e passa a apenas
3 graus de Marte. O planeta nasce por volta das 2:30 da manhã no início do mês
e por volta da 1:30 no dia 30, passando da constelação de Aquário para a de
Peixes.

Quanto a Mercúrio, no início do mês o planeta pode
observar-se ao anoitecer, ainda que baixo no horizonte. No dia 7, às 21:30,
está a mais ou menos virado a Oeste (à esquerda do pôr-do-Sol), cerca de 13
graus acima do horizonte. O planeta vai ficando cada vez mais baixo no céu e no
dia 15 já só se vê mesmo rente ao horizonte, durante uns minutos, assim que o
Sol se põe. A partir do dia 19, deixa mesmo de se ver.
Vénus foi a “estrela da tarde” durante os últimos meses, mas
depois de passar em frente ao Sol, passa para o céu do amanhecer. Volta a ser
visível lá para meio do mês de junho e no dia 30, quando o Sol nasce, estará a
uma altura de quase 20 graus.
No dia 19 a Lua, apenas 4% iluminada, passa a cerca de 1
grau do planeta Vénus. Os dois podem ver-se apenas durante cerca de uma hora,
já que Vénus nasce às 5 da manhã e o amanhecer ocorre por volta das 6 da manhã.

O céu por volta das 5h30 do dia 19 de junho 

No dia 20 de junho, às 22:44, ocorre o solstício de Verão
(no hemisfério Norte). Neste dia, o Sol atinge o ponto mais alto no céu (e
passa mais tempo acima do horizonte) em todo o ano.
Neste dia o Sol em Bragança nasce às 5:52 e põe-se às 21:05,
enquanto no Porto nasce às 6:02 e põe-se às 21:11. Em Coimbra o dia dura das
06:04 às 21:07, em Lisboa das 06:12 às 21:05 e em Faro das 06:12 às 20:55. No
Funchal (arquipélago da Madeira) o Sol nasce às 07:00 e põe-se às 21:18. Já em
Ponta Delgada (nos Açores), nasce às 06:21 e põe-se às 21:08.
No dia 21 o nosso satélite atinge a fase de lua nova, e
ocorre um eclipse solar, por volta das 7:41 (hora portuguesa). Infelizmente
para nós, não será visível de Portugal. Este eclipse tem a particularidade de
ocorrer quando a Lua está um bocadinho mais afastada da Terra do que a média,
por isso não consegue tapar a totalidade do disco solar – é um eclipse anular.
Os melhores locais para observar o eclipse como anular serão partes do
Paquistão, o topo Norte da Índia e uma grande parte da China.

E quase a terminar o mês, no dia 28 a Lua atinge o quarto
crescente.
Boas
observações.
Ricardo Cardoso Reis (Planetário do Porto e Instituto de
Astrofísica e Ciências do Espaço)
Ciência na Imprensa Regional – Ciência Viva