CULTURA – O Grande Fotojornalismo mostra-se em Coimbra a partir de 05 de julho

0
5

O
mundo da fotografia volta a concentrar olhares sobre Coimbra, já em julho, com
a inauguração de oito exposições da maior atualidade, a atribuição dos prémios
de fotojornalismo e outras iniciativas que lhe estão associadas.
Leonel de Castro |Prémio Estação Imagem 2019
É o
regresso do PRÉMIO ESTAÇÃO IMAGEM 2020 COIMBRA, que a cidade acolhe pelo
terceiro ano consecutivo. Desta vez em condições particulares ditadas pelos
condicionalismos de proteção da saúde, mas também com a importância e
simbolismo acrescidos de reabertura dos espaços e atividades de cultura.
Destaque,
desde logo, para aquela que é uma exposição inédita e de dimensão mundial, que
vai ficar na galeria Sala da Cidade: SOS Clima, sobre a urgência ambiental do
planeta e os efeitos das alterações climáticas, que reúne trabalhos das cinco
grandes agências noticiosas internacionais de fotografia. Numa ação sem
precedentes, Agence France-Press, The Associated Press, European Pressphoto
Agency, Getty Images e Reuters cederam fotografias à Estação Imagem, que é
responsável pela edição e desenho da exposição que vai ficar em Coimbra até
finais de setembro.
Também
da maior atualidade é a exposição Hong Kong: A luta pela liberdade, de Felipe
Dana (The Associated Press), sobre os recentes protestos naquele território da
China, assim como Fim do Califado, uma reportagem de Ivor Prickett feita
exclusivamente para o The New York Times, que cedeu as imagens do trabalho que
documenta a luta para derrotar o ISIS no Iraque e na Síria para a exposição que
será vista em Coimbra.
A
cidade recebe ainda a exposição Guardiões da Vida Selvagem, de Brent Stirton,
fotojornalista que tem documentado a relação entre o ser humano e o meio
ambiente. Trabalha regularmente com a Human Rigths Watch, bem como com outras
ONG e as fundações Gates, Clinton e Ford.
A
Caravana, de Guillermo Arias, vencedor do Visa d’Or 2019 com este trabalho
sobre a emigração em massa da América Central para os EUA; Rusgas às Favelas,
de Patrick Chauvel sobre as investidas da polícia brasileira às favelas do
Rio de Janeiro; Chamam-nos para Casa, uma abordagem de Sarah Blesener sobre a
militarização de jovens nos EUA e na Rússia; e Na terra, de Ana Brígida,
vencedora da Bolsa Estação Imagem 2019 Coimbra, são outras exposições que
igualmente inauguram já a 5 de julho.
Além
da Sala da Cidade, as exposições vão ocupar espaços do Convento São Francisco,
Edifício Chiado, Casa Municipal da Cultura, Mosteiro de Santa Clara-a-Velha e
Centro Cultural Penedo da Saudade.
Obrigado,
desta vez, a reunir através das plataformas eletrónicas, o júri para a edição
deste ano do PRÉMIO ESTAÇÃO IMAGEM é presidido por Patrick Chauvel, o mais
antigo repórter de guerra em exercício, tendo coberto já mais de 20 conflitos.
Brent
Stirton (sete prémios World Press Photo, seis prémios Lucie, o Visa d’Or e dois
prémios pelas Nações Unidas), Felipe Dana (fotojornalista da Associated Press e
finalista dos Pulitzer 2017, 2018 e 2019), e João Silva (do The Big Band Club
que documentou o fim do apartheid e repórter do The New York Times) são os
outros membros do júri.
A
par da reportagem vencedora do PRÉMIO ESTAÇÃO IMAGEM e da Fotografia do Ano, o
júri escolhe ainda os vencedores das diversas categorias e elege o vencedor da
Bolsa Estação Imagem Coimbra, para que um fotojornalista possa desenvolver, ao
longo do ano, um projeto fotográfico documental sobre o distrito de Coimbra. A
data e o local para anúncio e entrega dos prémios serão oportunamente
anunciados, em função da evolução das orientações das autoridades de saúde.
Único
na Península Ibérica dedicado ao fotojornalismo, o concurso aprecia trabalhos
de fotojornalistas portugueses, dos PALOP e da Galiza, bem como de estrangeiros
aí residentes, aos quais também está aberto. As inscrições encerraram no final
de maio e, não obstante os condicionalismos e limitações deste ano, os
organizadores destacam um número de candidaturas idêntico ao da última edição e
até com reforço das propostas para a Bolsa Estação Imagem Coimbra.
É
também através das plataformas eletrónicas que Francis Kohn (ex-diretor de
fotografia da Agence France-Presse), Ilvy Njiokiktjien (embaixadora Canon), e Ana
Brígida (fotojornalista) e os jurados João Silva, BRENT STIRTON e Felipe Dana
vão dar as aulas abertas sobre edição e fotojornalismo. Do mesmo modo, Ana
Brígida vai explicar como se desenvolve o trabalho da Bolsa Estação Imagem.
Recorde-se
que, face aos efeitos da pandemia da doença COVID-19, o executivo da Câmara
Municipal de Coimbra aprovou uma proposta excecional para a atualização dos
apoios atribuídos às associações culturais que não conseguiram realizar as suas
atividades nos termos inicialmente previstos, como é o caso da Estação Imagem.
A vereadora da Cultura, Carina Gomes, salienta que essa proposta teve em
consideração que a pandemia afetou bastante o «mundo da cultura», tendo
obrigado muitas iniciativas a serem «reagendadas, canceladas ou adaptadas à
nova realidade». Nesse sentido, algumas associações «efetuaram despesa prévia
para preparação de iniciativas que depois não se realizaram de todo ou nas
condições inicialmente delineadas», pelo que o Executivo decidiu atualizar as
condições do financiamento municipal visando dar apoio a estas associações
«para manterem a sua estabilidade e continuarem o bom trabalho que têm
desenvolvido», destaca ainda Carina Gomes.

Luís VasconcelosEstação Imagem