PATRIMÓNIO – Ligação das batalhas do Bussaco e Linhas de Torres reforça Rotas Napoleónicas

0
7

O projeto pretende contribuir para a proteção e valorização
do património cultural e natural, como base económica da região
transfronteiriça, uma vez que se concentra em valorizar o abundante património
cultural da era Napoleónica, gerando um produto de turismo atraente,
diferenciado, de qualidade e sustentável que permite gerar atividade económica
e emprego na região.

Ataque da 43ª e da 52ª a Infantaria Ligeira à Divisão de Loisin na Batalha de Bussaco, em 27 de setembro de 1810
Imagem de Richard Simkin

Os concelhos da Mealhada, Penacova e Mortágua, pertencentes
à Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC), são os mais
beneficiados com a concretização no terreno das Rotas Napoleónicas em Espanha e
Portugal (NAPOCTEP).

António Rosado – Diário As Beiras
Exatamente um ano após o lançamento do projeto – que teve lugar a 10 de julho de 2019, no Luso – o comité de direção da iniciativa
transfronteiriça está hoje reunido em Torres Vedras, onde teve lugar uma das
maiores batalhas napoleónicas (Linhas de Torres, a par das de Almeida e
Bussaco).
Liderada pela CIM-RC, a 3.ª reunião do projeto das Rotas
Napoleónicas teve ontem um primeiro momento, com uma visita dos participantes
ao património das Linhas de Torres, cruzando a história com as tradições e a
gastronomia.
Programa do dia de hoje

Hoje, dia 10, seguem-se as reuniões de trabalho e a
apresentação do projeto pelo secretário-executivo da CIM-RC, Jorge Brito, que
vai abordar o papel do turismo militar na atração de visitantes após a atual
pandemia. Com um orçamento de 711 mil euros euros – financiado a dois anos em
75% pelo fundo FEDER, através do Programa Interreg Poctep – as Rotas
Napoleónicas são uma forma de “valorizar o abundante património cultural da era
Napoleónica, gerando um produto de turismo atraente, diferenciado, de qualidade
e sustentável que permite gerar atividade económica e emprego na região
”.
Rede de parcerias

A CIM-RC tem, como parceiros, a CIM Beiras e Serra da
Estela, Turismo Centro de Portugal, Rota Histórica das Linhas de Torres –
Associação para o Desenvolvimento Turístico e Patrimonial das Linhas de Torres
Vedras, Junta de Castela e Leão (Espanha), Fundação do Património Histórico
Santa Maria la Real, Fundação Finnova e Segittur.
O facto da história de napoleão ser transversal à Europa, permite
fazer interligações com “rotas internacionais que possam criar programas de
visitação, em torno das datas históricas marcantes, potenciando a atração e
visita em diferentes períodos do ano
”.