eSaúde… O Centro de Saúde informa! – Gota

0
8
GOTA

A
rúbrica do eSaúde desta semana, incide sobre um tema que afeta uma percentagem
significativa da população e que ao longo da vida poderão ter um episódio
agudo, estamos as falar de crises de Gota.

A
Gota, é uma doença causada pela deposição de cristais de uratos nas
articulações quando as concentrações de ácido úrico no sangue são elevadas, A
CHAMADA hiperuricemia. Essa formação de cristais de ácido úrico nas
articulações conduz À inflamação da articulação e dor moderada a forte.
Conhecida antigamente como a “doença dos Reis” por estar associada a excessos
na dieta.

Trata-se
de uma doença mais comum em homens do que em mulheres, geralmente a partir da
meia-idade em homens e após a menopausa nas mulheres. É rara em jovens antes
dos 30 anos. No caso de repetições das crises, pode levar à formação de tofos
gotosos (aglomeração de cristais) e mesmo deformidade da articulação com
incapacidade. A crise gotosa pode variar de uns 2-3 dias a semanas. Existem
casos de crises gotosas recorrentes (RETIRAR —ser crónicas-). No entanto,
algumas pessoas podem ter níveis elevados de ácido úrico sem manifestar a
doença.

Por
norma, está associada a outras comorbilidades, como o síndrome metabólico,
hipertensão arterial, resistência à insulina (aumento dos níveis de
glicose/AÇÚCAR no sangue), dislipidémia (gorduras elevadas no sangue) e
obesidade.

As
articulações mais afetadas são as dos membros inferiores como: a do halux (dedo
grande do pé), tornozelos ou joelhos. Pode também afetar as articulações dos
membros superiores como: mão, punho e cotovelo. As causas mais comuns são:

– consumo de alimentos ricos em purinas

– alteração da excreção de ácido úrico pelo
rim, como toma de certos medicamentos

– fatores genético-hereditários

Sintomas:

– inflamação das articulações com dor,
calor, rubor e edema. Tipicamente uma dor latejante.

– Febre em determinadas situações

– Problemas renais com formação de cálculos
renais resultantes da hiperuricemia

Prevenção:

A
principal medida de prevenção passa, necessariamente, pela adoção de estilos de
vida e alimentação saudáveis. Prática de exercício físico, controlo de peso,
controlo da tensão arterial e controlo da dislipidémia são fulcrais na
prevenção.

Existem
várias listas com risco associado a cada alimento de desenvolver gota, indo dos
alimentos de consumo de baixo risco, risco intermédio ou de elevado risco de
desenvolver crise de gota. Nem todas são consensuais no tipo de consumo
permitido. Vamos referir apenas alguns como exemplos:
● Consumo com baixo risco
associado:
·                    
Queijo fresco, leite magro e iogurtes
·                    
Pão, batatas, arroz, ovos
·                    
feijão verde, grelos, cenouras, alfaces,
abobora, agrião
·                    
maça, pêra, tangerina, melão, uvas, pêssego,
banana
·                    
carapaus, pescada, pargo, faneca
● Consumo com risco intermédio
associado:
·                   
Partes magras de carnes magras: vaca, galinha,
coelho e carneiro
·                   
Peixes magros: bacalhau, robalo, solha
·                   
Queijos fermentados, açúcar, mel, compotas
·                   
Nozes, amêndoas, avelã, pinhões, amendoins
● Consumo com alto risco
associado:
·                   
Carnes jovens: vitela, frango, leitão, cabrito,
borrego
·                   
Carnes gordas: porco, peles de aves o Mariscos e
moluscos
·                   
Atum, cavala, sardinha, salmão, anchovas
·                   
Vísceras, conservas de carne e de peixe
·                   
Salchichas e charcutaria
·                   
Feijão, grão, favas, soja
·                   
Cerejas, nêspera, limão, ananás
·                   
Café, cerveja, vinhos, e outras bebidas
alcoólicas
·                   
Cacau e chocolate
·                   
Mostarda e Pimenta
Como
habitualmente, em caso de dúvida, pode sempre contactar o seu/sua Médico(a) de
Família.
CONTACTOS CENTRO DE SAÚDE (sede)

TELEFONE: 239470040/913893085

 EMAIL: ucsp.penacova
@arscentro.min-saude.pt

Esta rubrica semanal resulta
colaboração do Penacova Actual com a USCP de Penacova, e tem como médicos
responsáveis, a Dra. Mariana Pinto e Dr. Rui Ferreira (Médicos UCSP Penacova).
São abordados temas atuais
e abrangentes dirigidos a toda a população do concelho, baseados nas diretivas
e evidência em curso e aproximando o Centro de Saúde à comunidade.