LORVÃO – Bocas-de-incêndio de “faz-de-conta” na Freguesia

0
9

A CDU da freguesia de Lorvão, em nota enviada ao Penacova
Actual, denuncia a inconsequência dos seus alertas, que têm consistido na
persistente proposta para “que se faça um mapa das bocas-de-incêndio da
freguesia de Lorvão”. Complementarmente, esta força política tem sugerido “que
se façam ensaios de funcionamento e simulacros com os Bombeiros e com a
população e se instalem kit´s de primeira intervenção nos locais de mais
difícil acesso, como sejam a zona histórica de Lorvão, o lugar do Caneiro.”
Esta força política não se resigna àquela que diz ser a
resposta do executivo que lidera a Junta, que, segundo a CDU, se limita a
confirmar a existência das bocas de incêndio, reconhecendo, contudo, que “não
funcionam, não têm água ou não têm pressão suficiente que as faça funcionar.”
Persistindo numa luta que remonta a 2017, contra o que
apelam de inatividade da Junta de Freguesia, a CDU propôs, em Junho último, “que
se elaborem Planos de Emergência das aldeias, devendo começar-se pelos lugares
de maior risco.” O seu comunicado sublinha que os mesmos devem conter “os
planos de evacuação, os sistemas de alerta, os locais de concentração e refúgio
da população”, bem como prever a “instalação dos meios de defesa do local e de
combate aos incêndios.” Na senda do que prescreve o programa Aldeia Segura,
esta força política exorta a que a implementação desses planos seja iniciada
com a realização de simulacros, em estreita articulação com a Proteção Civil.

“Medidas preventivas e corretivas, como a verificação e
reforço das bocas-de-incêndio” seriam, na opinião da CDU, opções fundamentais
nesta ase em que ainda não existem os documentos estruturantes sugeridos.
A nota conclui com a denúncia da posição do atual executivo
da Junta, que insiste que as “bocas-de-incêndio não funcionam e que os
bombeiros já vêm equipados com os meios” necessários para o combate aos
incêndios. A CDU alerta que nomeadamente em alguns lugares do Caneiro, de S.
Mamede e de Lorvão a acessibilidade está vedada aos carros de bombeiros,
sublinhando ainda que há circunstâncias em que os “Bombeiros não conseguem dar
resposta a tantas solicitações.”