eSaúde… O Centro de Saúde informa – Mitos em Saúde II

0
9

 

 
 
1- Estalar os dedos provoca artroses ou deformidades das
articulações
 
O ato de estalar os dedos é comum na população, sendo para
algumas pessoas um ato frequente. No entanto, quase de certeza que já ouvimos
alguém dizer que estalar os dedos faz mal, podendo provocar artroses ou deixar
os dedos deformados. Estudos recentes, em 2015, vieram desvendar o mistério por
detrás do mecanismo de como surge o estalar dos dedos. Foi através de uma
pesquisa efetuada na Universidade de Alberta no Canadá, e através de exames por
ressonância magnética (RMN), que se verificou que o estalo era produzido no
momento em que uma pequena bolha de gás surgia dentro do líquido sinovial da
articulação. Já havia uma teoria na década de 40 do sec. XX que apontava para
esta hipótese. Assim, este é um mecanismo que não prova lesão direta da
articulação em causa. Foram feitos outros estudos, onde foram comparadas as
articulações de pessoas que estalavam frequentemente os dedos com outras que
não tinham esse hábito e, após estudos radiográficos, que concluíram que o
risco de desenvolver artroses ou deformidades eram semelhantes ao da população
que não tinha por hábito estalar os dedos.
2- Não podemos tomar banho depois de comer
 
Já ouvimos, de certeza, os nossos pais, avós ou tios a
dizerem-nos para não tomar banho depois de comer porque pode provocar uma
“congestão”. Cientificamente, não existe evidência que sustente essa afirmação.
Tomar banho depois de comer, pode ter alguns problemas, não pelo facto de
estarmos em contacto com água, mas sim pela diferença de temperatura entre o
nosso corpo e uma temperatura muito fria da água, podendo resultar numa
indigestão. Como exemplo, é essa uma das razões, que quando estamos demasiado
tempo ao sol numa praia, devemos molhar-nos aos poucos para haver uma adaptação
da temperatura do nosso corpo à água.
3- As “correntes de ar” causam gripe e pneumonia.
 
A gripe e a pneumonia são doenças provocadas por microrganismos
e não pelo ar frio. Assim, não é pelo facto de “apanharmos uma corrente de ar”
que iremos ficar com alguma destas doenças. Uma das causas da maior incidência
no Inverno destas doenças, prende-se com facto de nessa época do ano haver uma
maior circulação desse tipo de microrganismos, e como está mais frio, as
pessoas passam mais tempo em ambientes fechados e mais próximas umas das
outras. Logo, é nesse tipo de ambientes, menos ventilados, que poderá ocorrer
uma maior taxa de contágio de pessoa para pessoa.
4- As vacinas causam autismo
 
A origem desta crença resulta de um artigo publicado por
Andrew Wakefield em 1988, MMR vaccination and autism, que relacionava a vacina
tripla contra sarampo-papeira-rubéola com um suposto aparecimento de autismo
nas crianças. Vários estudos e pesquisas foram posteriormente realizadas não
havendo evidências dessa relação. Em 2010 o Conselho Geral de Medicina
Britânico, chegou mesmo a acusá-lo de agir de forma “desonesta e irresponsável”
na sua pesquisa, tendo ficado com suspensão da sua licença para o exercício da
Medicina. Nos últimos tempos, temos assistido a um ressurgimento de casos de
surtos de sarampo em indivíduos não vacinados, nomeadamente em Portugal alguns
países da Europa.
Como habitualmente, em caso de dúvida, pode sempre contactar
o seu/sua Médico(a) de Família.

 

CONTACTOS CENTRO DE SAÚDE (sede)

 

TELEFONE: 239470040/913893085

 

 EMAIL: ucsp.penacova @arscentro.min-saude.pt

 

Esta rubrica semanal resulta colaboração do Penacova Actual com a USCP de Penacova, e tem como médicos responsáveis, a Dra. Mariana Pinto e Dr. Rui Ferreira (Médicos UCSP Penacova).
São abordados temas atuais e abrangentes dirigidos a toda a população do concelho, baseados nas diretivas e evidência em curso e aproximando o Centro de Saúde à comunidade.