Eurodeputados juntam-se ao Centro de Informação da Europa e à FEUC para debate sobre o Discurso da União 2020

0
44

O Centro de Informação Europe Direct Região de Coimbra (CIED RC), cuja entidade promotora é a CIM Região de Coimbra, e a Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (FEUC) promoveram, no dia 16 de setembro, um debate sobre o Discurso da União 2020, realizado pela Presidente da Comissão Europeia, Ursula Von Der Leyen.

Durante a sessão, que contou com mesas redondas moderadas por representantes das instituições, os eurodeputados Maria Marques, Álvaro Amaro, Francisco Guerreiro, José Gusmão, Lídia Pereira e Sandra Pereira marcaram presença via videoconferência, com intervenções construtivas e necessárias para o futuro do Europa, depois de assistirem à visualização do discurso.

A sessão, que contou com alunos do Programa de Verão “Intervir na Região em Tempos de Crise – Plataforma COIMBRA2030” que junta estudantes, docentes e investigadores, contou ainda com a participação do Jorge Brito, Gestor do CIED RC e Secretário Executivo da CIM Região de Coimbra, Bernardo Fazendeiro, Luís Moura Ramos e Margarida Mano, todos docentes da FEUC.

Todos os anos, em setembro, o presidente da Comissão Europeia profere um discurso no Parlamento Europeu sobre o estado da União, onde faz o balanço das realizações do ano anterior e dá a conhecer as prioridades para o ano seguinte.

No discurso deste ano, a presidente da Comissão Europeia não só elogiou a cooperação entre os Estados membros no combate à covid-19, desde os corredores verdes quando as fronteiras estavam fechadas até ao repatriamento solidário dos pontos mais remotos do planeta, como declarou que os europeus têm de estar na linha da frente na procura de uma vacina, garantindo que esta será para todos e não apenas para aqueles que a possam pagar, realçando que «o nacionalismo nas vacinas mata, só a cooperação internacional salvará vidas».

Para além da aposta na saúde, Von Der Leyen defendeu melhorias na área do emprego, com a defesa de que todos os europeus devem ter acesso a salários mínimos.