Autarquia quer transformar dois moinhos numa das portas de entrada no Bussaco

0
193

Com os dois moinhos na sua posse, o município pretende que os respetivos imóveis a recuperar possam “ integrar novas sinergias na dinamização” do Núcleo Molinológico que se encontra no perímetro florestal da Serra do Bussaco.

Foto de Vítor Ribeiro

António Rosado – Diário As Beiras

A passagem da posse de dois moinhos (que fazem parte do Núcleo Molinológico da Portela de Oliveira), da alçada da Direção Regional de Cultura do Centro para o Município de Penacova, “permitirá continuarmos a criar mais-valias, de modo a preservarmos a nossa memória material e imaterial”, refere o presidente da câmara, Humberto Oliveira.

O autarca acrescenta que “este Núcleo Molinológico encontra-se no perímetro florestal da Serra do Bussaco – no ponto inicial e final do Percurso Pedestre da Rota dos Moinhos do Bussaco – e os dois moinhos podem agora integrar novas sinergias na dinamização daquele núcleo”.

Transferência inclui obras de valorização

Foi na passada quarta-feira que Humberto Oliveira assinou, em Idanha-a-Velha – na presença da ministra da Cultura, Graça Fonseca, e da ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão – o auto de “transferência de competências de gestão, valorização e conservação de dois moinhos de vento” localizados na freguesia de Sazes do Lorvão.

A autarquia destaca ainda “a proximidade de ambos os moinhos ao Museu do Moinho Vitorino Nemésio, doado pelos herdeiros do escritor à autarquia em 1980 e que se encontra em perfeito estado de conservação, mantendo todas as suas funcionalidades originais”.

O Museu do Moinho Vitorino Nemésio é, hoje em dia, um espaço profundamente remodelado que tem como objetivo preservar a história dos moinhos de vento e água e a memória dos seus moleiros.

Impulso à descentralização

Na cerimónia de anteontem – quando foi transferida a posse para as autarquias de um total de oito monumentos do país, incluindo o Castelo de Montemor-o-Velho, também na Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra – a ministra da Cultura afirmou que “é um importante impulso no processo de descentralização com as autarquias”.

“Com este processo, é incentivado um amplo acesso à cultura e maior proximidade às populações. A vasta experiência municipal deixa antever os efeitos positivos ao nível da melhoria ao acesso cultural”, afirmou Graça Fonseca.

Já a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, realçou a importância do momento no processo de descentralização em curso: “É através da descentralização para autarquias que se reforça a autonomia do poder local. Só assim é possível uma resposta aos desafios que Portugal enfrenta no futuro e é fundamental para assegurar a igualdade de oportunidades”.