Ilustres (des)conhecidos: João António Gomes (1890-1983)

0
176
João António Gomes (foto do Notícias de Penacova)

João António Gomes nasceu em Sousel, distrito de Portalegre, no dia 22 de Janeiro de 1890. Casou em Penacova com Elisa da Costa Gomes, irmã do Comendador Abel Rodrigues da Costa.

Serviu o Exército, tendo-se reformado como Sargento. Regressado de Angola em 1956, dirá mais tarde que logo que chegou o “apanharam” para os Bombeiros: “desculpei-me por todos os meios mas não houve maneira de me livrar.”

Em 1 de Janeiro de 1967 assumiu o cargo de Vice-Comandante e, no período que mediou entre a demissão de Manuel Lopes Ferreira e a posse de António Cabral Pimentel, foi Comandante Interino.

Na reunião de Câmara de 18 de Março de 1974, sendo Presidente Álvaro Barbosa Ribeiro, foi apresentada a proposta de atribuir a Medalha de Bronze do Município e reconhecer João António Gomes como “Cidadão Honorário do Concelho de Penacova”. Com o advento do 25 de Abril, só em 1982, na Presidência de Leitão Couto, foi ratificada e confirmada aquela deliberação.

No dia 5 de Outubro de 1973 foi-lhe prestada homenagem como reconhecimento público das “suas qualidades, esforço e entrega à causa dos Bombeiros”. Usaram da palavra Higino Sobral, Arnaldo Casimiro, Artur Soares Coimbra, Fernando Miguel Rodrigues, Abel Rodrigues da Costa e Álvaro Barbosa Ribeiro.

Presidiu à Direcção dos Bombeiros Voluntários de Penacova e no dia 24 de Julho de 1976, em cerimónia que teve lugar na Casa do Povo, recebeu a mais alta condecoração atribuída pela Liga dos Bombeiros Portugueses, o Crachá de Ouro, ainda com a presença da esposa que viria a falecer no ano seguinte. No mesmo dia foi-lhe também atribuída a Medalha de Ouro de 2 estrelas, pelo Governador Civil de Coimbra. No Parque Municipal decorreu um beberete, tendo a Filarmónica da Corporação abrilhantado o convívio que se seguiu à sessão solene presidida pelo Governador Civil, Luís Albuquerque. Na Mesa de Honra marcaram presença o Gestor Municipal, José Alberto Costa e o Comendador Abel Rodrigues da Costa.

Em 1980 assumiu a presidência da Assembleia Geral da Associação dos Bombeiros Voluntários de Penacova.

A sua acção foi crucial para a cedência, pelo Engº Manuel Leitão, de um lote de terreno na Quinta de Carrazedos, destinado à construção do futuro quartel dos Bombeiros.

Sem ver realizado o seu grande sonho – a inauguração do Novo Quartel – apesar de as obras estarem já adiantadas, faleceu no dia 27 de Julho de 1983.

No funeral fizeram-se representar as Corporações dos Bombeiros Voluntários de Góis, V. N. de Oliveirinha, V. N. de Poiares, Montemor-o-Velho, Miranda do Corvo, Lagares da Beira e Penela, além da Corporação local, à data comandada por António Morais. Em representação do Município, esteve presente Artur Coimbra,  Presidente da Câmara. Durante as cerimónias fúnebres a urna permaneceu coberta com a bandeira do Município e a bandeira Nacional.

Na memória de todos, ficarão “as inegáveis qualidades de trabalho e dedicação de João António Gomes em prol dos Bombeiros de Penacova.”

Em 2009, por iniciativa da Junta de Freguesia de Penacova, foi dado o seu nome à antiga estrada de Carrazedos, que passou a designar-se por Avenida João António Gomes.

David Gonçalves de Almeida

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui