Tempo frio leva Proteção civil a emitir aviso à população

0
167

O tempo frio vai continuar pelo menos até ao final da semana em especial nas regiões do interior norte e centro onde as temperaturas mínimas podem chegar aos seis graus negativos, segundo a meteorologista Maria João Frada.

Créditos: Vera Carpinteiro – Aveleira – Penacova

Em declarações à agência Lusa, a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) adianta que está emitido um aviso amarelo para todos os 18 distritos do continente.

“Temos avisos em todos os distritos até dia 06 (quarta-feira) com exceção do Algarve que vai ter um alívio já a partir de amanhã. É provável que em parte dos distritos se prolongue o aviso por mais tempo, até ao final da semana pelo menos nos do interior norte e centro e eu diria mesmo até ao fim de semana”, disse.

De acordo com a meteorologista, esta situação deve-se ao transporte de uma massa de ar frio associada a um fluxo predominante de nordeste.

“As temperaturas estão abaixo dos valores médios para altura do ano e em alguns locais estão a contribuir para uma onda de frio, mas não é provável que na nossa rede de estações do IPMA se verifique uma onda de frio porque ela é quebrada no dia 07 [quinta-feira] em alguns locais. Não há seis dias consecutivos em que as temperaturas mínimas estejam em cinco graus abaixo da média”, explicou.

Segundo Maria João Frada, a situação de tempo frio é expectável para esta altura do ano.

No que diz respeito às temperaturas máximas no continente, a meteorologista do IPMA adianta que vão ser muito baixas.

“Não vão ultrapassar os 10 graus na generalidade do território. Serão um pouco mais altas na costa sul do Algarve rondando os 12/ 13 graus. No interior norte e centro, nomeadamente no nordeste transmontano e Beira Alta, serão inferiores a 06 graus”, indicou.

Quanto às temperaturas mínimas, segundo Maria João Frada, vão variar entre os -3 e os -6 no nordeste transmontano e Beira Alta e entre os 05 e os 07 no Algarve.

Maria João Frada adiantou também que está prevista já a partir de hoje alguma nebulosidade, que será mais persistente na quarta-feira com a entrada de uma massa de ar mais quente e húmida vinda de sul que vai trazer períodos de chuva ao Baixo Alentejo e Algarve.

“Está também prevista uma intensificação do vento do quadrante leste, o que aumenta a sensação de frio, e agitação marítima na costa sul do Algarve até quinta-feira”, disse.

Quanto à Madeira, que na segunda-feira esteve sob aviso vermelho, o mais grave, devido à precipitação, Maria João Frada adiantou que os episódios de chuva vão regressar na quarta-feira.

“Hoje está um bocadinho mais calmo, mas na quarta-feira vamos ter novo episódio de chuva ou aguaceiros fortes que poderão ser acompanhados por trovoadas em especial na madrugada e até ao final da manhã tendo sido já emitido aviso amarelo. Vamos ter também vento forte, podendo ser emitido um aviso laranja de rajadas”, disse.

Proteção civil emite aviso à população por causa do tempo frio

A Proteção Civil emitiu esta terça-feira um aviso à população devido à previsão de frio, chuva e vento, recomendando que sejam tomadas medidas de prevenção e se dê especial atenção ao uso de equipamentos de combustão.

O aviso à população da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) tem por base informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) que prevê para hoje e para quarta-feira tempo frio, com temperaturas mínimas a variar entre os -4 e os 08 graus celsius e as máximas entre os 05 e os 17 graus, e vento que pode ser forte nas terras altas.

Está também prevista neblina ou nevoeiro matinal, chuva, formação de gelo e geada e neve nas terras altas (700/900 metros), principalmente a sul do território, mais provável em S. Mamede, na quarta e quinta-feira.

Tendo em conta as previsões do IPMA, a Proteção Civil pede à população especial atenção aos aquecimentos com combustão (como por exemplo braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação devido à acumulação de monóxido de carbono e levar à morte, recomendando ventilação dos espaços.

Alerta igualmente para os incêndios em habitações, resultantes da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias em circuitos elétricos, e para o aumento do risco associado ao tráfego rodoviário, quer pela queda de neve nas vias, quer pela formação de gelo.

A ANEPC destaca também a necessidade de especial atenção aos grupos populacionais mais vulneráveis, crianças, idosos e pessoas portadoras de patologias crónicas e população sem-abrigo.

Face à situação meteorológica, a ANEPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações.

Nesse sentido, aconselha que se evite a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura, a manter o corpo quente, através do uso de várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente, proteger as extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol) e calçado quente e antiderrapante e ingestão de sopas e bebidas quentes, evitando o álcool que proporciona uma falsa sensação de calor.

Uma adequada ventilação das habitações, quando não for possível evitar o uso de braseiras ou lareiras, o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de se deitar e atenção à condução em locais onde se forme gelo na estrada, adotando uma condução defensiva são outras recomendações da ANEPC.

No aviso, a ANEPC aconselha ainda a população a estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e forças de segurança.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui