O sol trás consigo a minha liberdade

Mexe comigo

Põe-me bem disposto

E até tem o condão de me apagar algum desgosto

O sal é um mineral

Que surge cristalino na sua forma natural

Dá importância e significado à história da humanidade

E serve -para além do tempero- para conservar

… e para lavar, tingir, amaciar …

Hoje, para mim, foi um dia feliz

Misturei o sabor do Sol

Com o amor do sal

Quando peguei nas mãozinhas dos meus netos

Corri pra praia sem pensar em sonetos

Levei-os ao mar

Sem querer nadar

Mas fiquei com os músculos faciais quietos

Ao vê-los correr nada inquietos

Muito irrequietos, até

Para as ondas que os desafiavam

Eram ondas pouco reboladas

Estavam ali há muito tempo à espera de carinhos de bonanças

Contidas, diria, para receber as crianças

Um levantar do pé do Martim

Que estava num frenesim

Um bate cu da Madalena

Que começava a ficar morena

Um “deixa-me vovô, vá lá, não sejas chato!”

Uns sorrisos abertos e zombeteiros

Alegria sem cor

Prazer sem favor

Tudo o que só os netos nos sabem dar

Sem se ter que lhes pagar

E que se traduz numa simples palavra:

… Amor!

Luís Pais Amante

Ainda deliciado com o sabor a sal dos meus netos Martim e Madalena, que hoje foram pisar a ondulação da Praia da Mota, junto ao Béltico, a fugir da “quarentena”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui