Cantos e recantos do concelho de Penacova: Ribeira D’Arcos

Ribeira de Arcos está inserida num vale que liga as localidades de Aveleira, onde nasce, e Foz do Caneiro, onde se junta ao Rio Mondego. Esta Ribeira é acompanhada por um fantástico trilho onde natureza e cultura andam de mãos dadas.

Ao longo do percurso é possível ver como outrora era aproveitado este espaço de forma a aproveitar os potenciais naturais desta região, eólicos e hidrográficos para moer os cereais cultivados na periferia. No cume da Serra da Aveleira estão dois núcleos de moinhos de vento, que aproveitam o potencial eólico da região, ao longo da ribeira são inúmeras as azenhas (ou moinhos de água) que aproveitam o potencial hidrográfico.

No centro da localidade da Aveleira, próximo da capela encontra-se a nascente da Ribeira de Arcos. Percorrer este trilho é sem dúvida uma experiência incrível, pela beleza paisagística e também cultural, pois algumas azenhas e moinhos de vento estão recuperados e funcionam.

O percurso desenvolve-se por caminhos estreitos e com alguma dificuldade, ao mesmo tempo que passamos por algumas pontes e escadas de madeira que foram construídas para facilitar a passagem pelo trilho. Mas não são apenas azenhas que encontramos ao longo do percurso, temos também algumas cascatas.

Junto à cascata maior podemos sentar-nos num banco de madeira com a inscrição “Penacova onde a natureza vive”, excelente para sentar e relaxar ao som da água a cair e do chilrear dos pássaros, ouvindo por vezes o som do sino da capela do Caneiro a indicar as horas a passar. Podemos também encontrar um aro de madeira que convida a tirar selfies junto a outra cascata mais pequena.

O trilho insere-se na Pequena Rota 4 do Município de Penacova, que também está inserido no Percurso 3 do Centro de Trail de Penacova – Carlos Sá. O percurso pode ser praticado em ambos os sentidos Aveleira – Foz do Caneiro e Foz do Caneiro – Aveleira, ficando o grau de dificuldade ao critério do utilizador. Apresenta-se com duas secções distintas, um percurso circular que contorna a aldeia da Aveleira abrangendo os dois núcleos de moinhos de vento e um percurso linear que percorre a ribeira. Fazendo o percurso nos sentido ascendente, da Foz do Caneiro para a Aveleira, temos um ganho de elevação de aproximadamente 900 m com elevação máxima de aproximadamente 500 m.

Penacova onde a natureza vive e tem bom ar,

Espera por si quando o vírus passar.

Para já, é tempo de nos cuidarmos a nós e aos outros.

Ana Rita Ferreira

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

NOTÍCIAS MAIS RECENTES