Vê-se incredulamente
O olhar sofrido em corpos despidos
Inquietude latente na cabecita dormente
Abafo aquecido na janela do comboio
Pondo o coração a chamar
A cintilar
Por ajuda que tarda em chegar
Corrida desfeita no final do corredor
Boquinha a mascar uma bolacha das que estão a acabar
Perda da boneca na fuga
Do inferno
E resistência ingénua na guerra sem fim
Puxando as mãos de todos
Até de mim
Assim
Damos conta da tristeza que é
Esta farpa espetada nas costas das crianças
Por seres que não sabem amar
É lá pra bem longe, na Ucrânia
Onde as Mulheres no seu dia
Escondem os filhos
Para os salvar
Da ira decadente
Da força dita imponente
Que os quer matar
Mas não sabe pensar
Não escapam hospitais
Nem maternidades
Nem igrejas
Nem olivais
Nem está fácil ser criança
… mesmo no Dia da Mulher!
Luís Pais Amante
Publicidade
Artigo anteriorPatrões exigem redução extraordinária de impostos como resposta ao aumento da energia devido à guerra na Ucrânia
Próximo artigoFamílias com tarifa social de eletricidade vão ter apoio de 10 euros na compra de botija de gás

4 COMENTÁRIOS

  1. Que emoção ver um poeta dedicar seus
    versos às crianças e mulheres migrantes e refugiadas da Ucrânia,no dia internacional da Mulher.
    Mulheres sem proteção que
    protegem seus filhos, mulheres com fome
    que buscam de todas as maneiras saciar a fome de seus filhos.
    Hoje vi comovido a foto da ajuda humanitária portuguesa para a região de guerra. Para mim este precioso poema do Luis faz parte desta ajuda. Eu tenho uma sobrinha que fugiu com seu filho menor para próximo da fronteira polonesa.
    Obrigado, Luís

  2. “Que quem já é pecador
    sofra tormentos, enfim!
    Mas as crianças, Senhor,
    porque lhes dais tanta dor?!…
    Porque padecem assim?!…”

  3. Nosso poeta é nosso poeta, fez um brilhante poemas ao povo Ucranianos.
    As Mães Ucranianas Parabéns ao Dia Internacional da Mulher.
    Meu amigo Dr.Luís meus parabéns.

  4. Caros Leitores do PenacovaActual
    Caros Amigos

    O nosso poema está a ser divulgado não só no nosso País, mas também em: Espanha, França, Reino Unido, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Brasil e, até, na Ucrânia.
    O poeta, neste caso, não fica contente com esta divulgação maciça; o que lhe daria contentamento era não assistir incrédulo a toda esta inqualificável atrocidade.
    O mundo está a ficar perigoso demais e as nossas crianças não terão um desenvolvimento saudável, como bem merecem.
    Independentemente do local onde nascem; independentemente do meio e da situação económica dos seus Familiares.
    … e defendê-los é uma missão que não pode deixar de ser prosseguida pelas pessoas de bem.
    Muito obrigado
    Luís Pais Amante

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui