A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) colocou em Estado de Alerta Especial nível Amarelo, para o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), nove distritos do continente, devido ao risco elevado de incêndio.

Publicidade

Num aviso à população devido ao aumento do perigo de incêndio rural, a ANEPC cita o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), para dizer que os próximos dias serão de tempo quente e seco, com temperaturas acima da média para a época.

A situação caracteriza-se nomeadamente por humidade relativa do ar inferior a 20% no interior, vale do Tejo e sotavento algarvio, vento de oeste a partir de terça-feira, sendo mais intenso a partir da tarde no litoral oeste e terras altas, e temperaturas máximas entre 25 e 35ºC, pontualmente mais elevadas a sul do sistema montanhoso Montejunto-Estrela.

Por tal há “índices de incêndio elevados e muito elevados, em especial no interior Norte, Centro e na região Sul (Baixo Alentejo e Algarve), a agravar progressivamente nos próximos dias”, diz a ANEPC no comunicado.

No documento a ANEPC recorda que é proibido fazer queimadas extensivas sem autorização, e que nos dias de risco de incêndio Muito Elevado e Máximo também é proibido fazer queima de amontoados sem autorização ou sem comunicação prévia.

Nos dias de risco de incêndio Muito Elevado e Máximo também é proibido utilizar fogareiros e grelhadores em espaço rural, fumigar ou desinfestar em apiários (com exceções relativamente ao tipo de fumigadores), ou lançar balões de mecha acesa e foguetes.

A ANEPC lembra ainda que em dias de risco de incêndio Máximo é proibido usar-se motorroçadoras (com exceções relativamente ao tipo de motorroçadoras), corta-matos e destroçadores, sendo de evitar também grades de discos.

A ANEPC tem cinco Estados de Alerta (para colocar de prevenção agentes de proteção civil), o Verde, de situação de normalidade, e quatro especiais: o Azul, de um grau de risco moderado, o Amarelo, de gravidade moderada, o Laranja, de grau de risco elevado, e o Vermelho, de grau de risco extremo.

Governo autorizou a ativação de reforço de 100 equipas até sábado

Perante o risco elevado de incêndios, o Governo autorizou a ativação de um reforço máximo de 100 equipas de combate a incêndios entre a meia-noite de terça-feira e as 23h59 de sábado, face ao agravamento do risco de fogos florestais.

A decisão, anunciada pelo Ministério da Administração Interna (MAI) numa nota à imprensa esta segunda-feira, resultou de um pedido da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, “que elevou o estado de alerta especial do dispositivo para o nível amarelo, na sequência de previsões meteorológicas do Instituto Português do Mar e da Atmosfera” que apontam para temperaturas elevadas.

Segundo a nota, estarão em alerta especial amarelo, o segundo menos grave numa escala de quatro, os meios colocados nos distritos de Beja, Bragança, Castelo Branco, Faro, Guarda, Portalegre, Santarém, Vila Real e Viseu.

O MAI aconselha “a todos os cidadãos a adequação dos comportamentos face à situação de perigo de incêndio rural, nomeadamente a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução”.

Publicidade
Artigo anteriorFutebol: União e Mocidade não deram descanso aos adversários
Próximo artigoSem planos para o verão? The Loop Co. abre nova edição de estágios remunerados

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui